MEIs puxam alta de 14,5% na abertura de empresas em agosto

Setor de Serviços se destaca. segmento cresceu 5,4%.

Empresas / 12:25 - 18 de nov de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O Indicador de Nascimento de Empresas da Serasa Experian revela que foram abertos 325.447 negócios em agosto deste ano, o segundo maior número de toda a série histórica, perdendo apenas para julho/20 (325.629). Em comparação com agosto de 2019, há um aumento de 14,5%, alavancado pelos microempreendedores individuais (MEIs), que representam 77,1% do total. Em seguida estão as sociedades Ilimitadas (12,8%) e empresas individuais (4,3%).

Na comparação com julho de 2020, o índice de nascimento de empresas registra baixa de -0,1% em agosto/20. A queda foi puxada pelas regiões Centro-Oeste (-4,5%), Norte (-2,9%) e Sudeste (-0,8%), enquanto Nordeste e Sul apresentaram alta de 3,1% e 2,7% respectivamente. A análise por segmento também traz leve retração para os setores do Comércio (-0,7%) e Serviço (-0,2%), já a Indústria vê subida de 0,8%.

De acordo com o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, “os dados de agosto na comparação anual são positivos e confirmam que o empreendedorismo continua sendo uma opção para muitos brasileiros neste segundo semestre do ano, um reflexo da expectativa de manutenção dos níveis de desemprego nesta retomada econômica”. Para Rabi, a previsão é de que o número de empresas criadas se mantenha elevado nos próximos meses.

Ainda de acordo com o indicador da Serasa Experian, os novos negócios abertos em agosto são, em sua maioria, pertencentes ao setor de Serviços (62,8%) - ante o mesmo mês de 2019, o segmento cresceu 5,4%. A área do Comércio, no entanto, vem avançando e ocupa 28% do total, com variação interanual positiva pelo terceiro mês consecutivo (38,0%). Feita a análise, o segmento de Indústria representa 7,7% das empresas recém abertas, marcando 21,1% no ano a ano.

Na participação mensal, todas as regiões brasileiras mostraram aumento. Sudeste tem maior ênfase, com 52,5%. Em ordem decrescente estão Sul (17,0%), Nordeste (16,8%), Centro-Oeste (8,6%) e Norte (5,2%). Veja abaixo a comparação ago/20 x ago/19.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor