Menos dívidas

A inadimplência no comércio lojista da Cidade do Rio de Janeiro diminuiu 0,6% em junho em relação ao mesmo mês do ano passado, de acordo com o Clube de Diretores Lojistas (CDL-Rio). As dívidas quitadas, índice que mostra o número de consumidores que colocaram em dia suas compras atrasadas, aumentaram 4,8% e as consultas ao SPC, item que indica o movimento do comércio, cresceram 8,3%, também em relação a junho de 2009, puxadas pelo Dia dos Namorados.
Ao comparar junho com maio deste ano, os registros do Serviço de Proteção ao Crédito mostram que a inadimplência, as dívidas quitadas e as consultas diminuíram, respectivamente, 0,8%, 1,3% e 7%.
No acumulado do primeiro semestre, em relação ao mesmo período de 2009, a inadimplência caiu 0,6% e as consultas e as dívidas quitadas subiram, respectivamente, 6,3% e 5,5%.

Time fluminense
Técio Lins e Silva, Patricia Brandão, Nylvando Oliveira, Savio Neves, Felipe Niemeyer e Alcione Mazzeo são algumas das personalidades que já integram a Frente em Defesa do Rio Turístico. Idealizada pelos professores Bayard Boiteux e Mauricio Werner, o objetivo é analisar as políticas públicas e privadas do turismo e propor sugestões. Werner se reunirá na próxima semana com várias associações do setor. Até dezembro deve ser concluído um plano de trabalho para oferecer ao futuro governador e aos prefeitos do estado.

Gol contra
Houve perda de produtividade durante os jogos do Brasil na Copa do Mundo em 85% das 659 empresas pesquisadas pelo site Curriculum. No entanto, 67,4% consideram a baixa de produtividade normal para o dia, enquanto 32,6% afirmam achar superior ao esperado.
Não foram só os jogos do Brasil que afetaram a produção, pois 44,8% das companhias acreditam que houve redução também durante os outros jogos.
Mais de 2/3 liberaram seus funcionários para assistir às partidas fora da empresa, enquanto 31,7% providenciaram que elas fossem vistas dentro do ambiente de trabalho. Na próxima Copa do Mundo, ou em algum outro evento importante, 84,9% responderam que manteriam a mesma estratégia.

Taxas
Fruto do “inconformismo com o cenário da tributação no Brasil”, o advogado tributarista Dávio Antonio Prado Zarzana lança O País dos Impostos (Saraiva, 224 páginas, R$ 50), que aponta, em linguagem informal, alguns motivos para a alta carga tributaria no país. Livros, aliás, são imunes de impostos, garante a Constituição – mas, segundo o IBPT, pagam 15% de impostos indiretos.

Candidata
Candidata a sediar a Copa do Mundo de futebol em 2018 ou 2022, a Rússia ouviu a experiência brasileira na palestra “Aspectos Econômicos e Organizacionais na Preparação para a Copa do Mundo”, feita pelo presidente nacional da Câmara Brasil-Rússia, Gilberto Ramos durante Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo. Faria melhor se visitasse os elefantes brancos do Pan de 2007 e os estádios da África do Sul, candidatos a pouca utilização.

Ainda a Copa
Muitos – a ampla maioria – dos colunistas da mídia que agora criticam Dunga defenderam, nos últimos anos, ainda que de forma enviesada, os conceitos que o ex-treinador implantou na Seleção brasileira. “Futebol moderno é assim”, “não se pode ficar com romantismo”, “tem que ser competitivo” são maneiras disfarçadas de defender um futebol retrancado, com jogadores de pouca categoria – o futebol de resultados, enfim.
Não por acaso, termos semelhantes são usados na Economia para rebater críticas ao neoliberalismo: “não se pode lutar contra o curso da História”, “o mundo agora é competitivo” etc. Também não por acaso, as teses acabam destruídas pelos fatos, como a crise de 2008, ou a eliminação do Brasil e de outras seleções que rebarbaram os craques e apostaram em jogadores menos talentosos e mais combativos. Dos quatro semi-finalistas, só o Uruguai pode ser classificado como retranqueiro.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMais que a Selic
Próximo artigoFome de especulação

Artigos Relacionados

Alta dos preços leva a aumento de protestos

Agitação em países onde manifestações eram raras preocupa FMI.

Montadoras não vieram; demissões, sim

Promessas de Doria e Bolsonaro para fábrica da Ford não passaram de conversa para gado dormir.

Ganhos de motoristas de app desabam

Renda média é de pouco mais de 1,5 salário mínimo.

Últimas Notícias

Câmara deve colocar em votação PL que desonera tarifas de energia

Em 2021, o Brasil passou pela pior crise hídrica em mais de 90 anos

Metodologia para participação de investidor estrangeiro

Serão considerados os dados de liquidação das operações realizadas no mercado primário nos sistemas da B3

Fitch eleva rating do Banco Sicoob para AA (bra)

Houve melhora do perfil de negócios e de risco da instituição

Petrobras Conexões para Inovação cria robô de combate a incêndio

Estatal: Primeiro no mundo adaptado para a indústria de óleo e gás

Brasil tenta ampliar diálogo com a UE

Debate da recuperação econômica nas duas regiões e discussão sobre as perspectivas das políticas fiscais