Mensalidades de cursos superiores tiveram queda de 60%

217
Estudantes universitários em sala de aula (Foto: ABr/arquivo)
Estudantes universitários em sala de aula (foto ABr)

Levantamento realizado pela Price Survey, empresa especializada em pesquisa de mercado, identificou que vários cursos no Brasil tiveram queda significativa de valor de mensalidade no último ano, com cursos de tecnólogo chegando a mais de 60% de redução.

A pesquisa da Price Survey, com base na apuração de dados realizada por robôs rastreadores de rede (crawlers), também foram avaliados três cursos de Graduação e Pós-graduação dos mais procurados pelos estudantes, fosse na modalidade presencial, fosse na Educação à Distância: Direito, Ciências de Dados e Administração. Levantaram-se os valores mensais cobrados pelas instituições de Ensino Superior, dos mais baixos aos mais altos. O valor mais barato destes cursos no modelo EAD ficou em uma parcela mensal de R$ 143, com duração de seis meses, enquanto no presencial se notou que a mensalidade estava no valor mais barato de R$ 218,70, num total de 60 meses de estudo.

Atualmente, existem mais de oito milhões de alunos matriculados em mais de 35 mil cursos espalhados pelo país, em mais de 2 mil instituições, seja na modalidade presencial, seja no ensino a distância ou no modelo híbrido. Os dados são do Ministério da Educação. Ainda conforme a pasta, a edição do primeiro semestre de 2022 do Sistema de Seleção Unificada (SiSU) ofertou 221.790 vagas para 6.146 cursos de graduação, em 125 instituições públicas de ensino superior; já a do segundo semestre disponibilizou 65.932 vagas para ingresso em 2.043 cursos de 73 instituições.

Já a busca por cursos de Pós-graduação no Brasil aumentou tanto na última década que, segundo dados divulgados pelo Secretaria de Modalidades Especializadas de Educação (Semesp), a Pós-graduação Latu sensu cresceu 136%, chegando a 173 mil cursos ofertados em todo o país.

Espaço Publicitáriocnseg

Pesquisa recente do Instituto Semesp, com base nos dados da Pnad Contínua divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aponta que estudantes de Especialização possuem rendimento acima de R$ 4 mil. O valor é 150% maior do que a média de rendimento daqueles que fazem apenas curso de Graduação.

Leia também:

Cresce percentual de inadimplentes muito endividados em 2022

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui