27.6 C
Rio de Janeiro
terça-feira, janeiro 19, 2021

Mercado cemiterial: famílias tentam se precaver

A expectativa do mercado cemiterial com a Black Friday represente maior volume de negócios fechados até o dia 30 desse mês. “Ultimamente, fomos procurados por famílias preocupadas com a onda de contaminação da Covid-19. As pessoas tomaram ciência do quanto é complexo sepultar um ente querido, pois envolve mais de 65 decisões imediatas que, se tomadas precipitadamente, podem acarretar prejuízos e arrependimentos futuros”, avalia o gerente de vendas do Crematório e Cemitério da Penitência (RJ), Marcelo Bosque.

Segundo o gestor, a nova demanda de compradores interessados em investimentos cemiteriais tem em comum a busca por soluções preventivas e menos impactantes no bolso. “Observamos também que, com o desemprego em alta e a crise econômica gerada pela pandemia, o modelo de plano previdenciário teve adesão 45% maior, pela flexibilidade nas formas de pagamento”, acrescenta.

Um dos reflexos da Covid-19 na sociedade, ainda na opinião de Bosque, é a reforma conceitual relacionado ao tema morte. “Antes da pandemia, ninguém queria falar do assunto, mas agora esse cenário faz parte do nosso dia-a-dia, através dos noticiários ou quando descobrimos mais um amigo ou parente que se foi vítima do novo coronavírus. Então, as pessoas mudaram a leitura da morte, passaram a admitir que é fundamental planejar a despedida”, avalia o gerente.

A história da advogada Edmme Ribeiro se encaixa no novo perfil de consumidor. Após uma experiência “traumatizante” por conta do sepultamento da mãe, ela quebrou um tabu e resolveu planejar a sua despedida. “Depois desse episódio, eu só tinha em mente que não vou ficar em uma sepultura qualquer. Então, fui para a internet em busca de algo que pudesse me tranquilizar quanto o futuro”, conta ela, que contratou o plano previdenciário do Cemitério da Penitência no final do ano passado, pelo teleatendimento.

No início da pandemia, Edmme contratou outro plano previdenciário para a irmã mais velha, que faleceu em julho. “A causa da morte dela foi por uma doença que se manifestou no ano passado e se agravou durante a pandemia. Fui salva pelo plano previdenciário, porque consegui resolver toda a parte burocrática sem precisar ir ao cemitério, somente para a cremação. Isso me confortou e deu muita tranquilidade, porque estávamos em plena pandemia”, frisa. A advogada acredita que o novo coronavírus está mostrando para a sociedade que a preocupação com a morte deve fazer parte dos planos de vida.

Para se adaptar aos novos tempos, o Cemitério da Penitência promoveu uma reestruturação interna, para que os seus colaboradores pudessem acompanhar mais rapidamente as necessidades mercadológicas. A aposta foi no teleatendimento como ferramenta principal de comunicação com os clientes, visando manter a segurança e tranquilidade dos usuários. “Em março, as nossas vendas despencaram por causa da pandemia, tivemos que pensar numa alternativa para lidar com uma nova situação de saúde sanitária. Percebemos que o público estava receoso de ir ao cemitério e o teleatendimento surgiu como opção mais segura e eficiente. Aos poucos, fomos aprimorando essa forma de acolhimento e ela foi se consolidando”, conta o gerente.

O novo modelo de atendimento foi implantado pela empresa em maio, após as equipes comerciais passarem por treinamentos especializados. “A partir daí, aumentamos consideravelmente o volume de negociações, porque os clientes estavam precisando do serviço, mas preocupados de irem ao cemitério. A pandemia nos ensinou a trabalhar de outra forma”, relata Bosque. De maio a outubro, o aumento nas vendas efetuadas através do teleatendimento e das redes sociais – Facebook, WhatsApp, Jivochat – foi de 32%.

Com a certeza de que agora o melhor caminho para chegar ao cliente é por meio remoto, Bosque readaptou a rotina, ampliou a equipe e investiu em treinamento para a distância não interferir na qualidade do atendimento humanizado. “Com tantas mudanças, contratamos mais dois profissionais e incentivamos os novos aprendizados promovendo premiações para os vendedores que mais se destacaram”, conta o gestor.

Black Friday

A Black Friday está servindo como vitrine para o mercado em ascensão. O Cemitério da Penitência está ampliando a campanha promocional até final de dezembro, com ofertas de jazigos premium e mausoléus personalizados com descontos a partir de 40%. Com isso, a expectativa de aumento nas vendas está entre 20% e 25%.

“Nesse período os nossos consultores estão de prontidão de forma presencial e pelo teleatendimento. Nesta sexta-feira, teremos equipes comerciais posicionadas em cinco pontos fixos do nosso complexo cemiterial, além de manter o atendimento remoto, pelas redes sociais e telefone”, explica Bosque. Com a campanha promocional, um jazigo Premium que custa, em média, R$ 89 mil, terá o seu valor negociado a R$ 50. Esse produto especial tem dois espaços para sepultamento imediato e dez ossários. As condições de pagamento também serão facilitadas.

O plano previdenciário do Cemitério da Penitência contempla assistência funeral completa, como translado e preparo do corpo, caixão, coroa e manto de flores, capela ecumênica e cerimônia de despedida e, ainda, a opção entre cremação ou sepultamento. “Esse modelo previdenciário tem como parâmetro as necessidades dos consumidores. O sistema permite a transferência da titularidade, mesmo para quem não é familiar. A outra vantagem está na natureza do seguro prestamista, que garante a quitação de todas as parcelas no caso de morte do comprador”, explica o gerente.

Artigos Relacionados

Para 68% dos brasileiros, desigualdade de renda será maior em 2021

Para Receita, entretanto, existem medidas mais eficientes de justiça social e tributária do que Imposto sobre Grandes Fortunas.

Empregado que se recusar a tomar vacina pode levar justa causa

Para especialista, empresa pode demitir funcionário, por trazer riscos sanitários para colegas, mas recomenda tentar conversa antes de medidas definitivas.

Desemprego é recorde, mas empresas falam em dificuldade para contratar

Já o trabalho temporário alcançou mais de 2 milhões de vagas em 2020, alta de 34,8% ante 2019; indústria puxou 65% das contratações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Exportações de suco de laranja recuam 23% entre julho e dezembro

Safra menor e estoques mais elevados estão entre as principais razões para a baixa.

Os desafios para Joe Biden nos EUA

Avanço da Covid-19 pode fazer com que democrata e equipe tenham que apagar alguns incêndios no começo do mandato.

Mercados sobem em véspera do Copom

Campos Neto, presidente do BC, participa da primeira sessão da reunião do Copom.

Mercados locais sobem seguindo Bolsas mundiais

Dia amanhece com tendência de alta para o mercado interno, seguindo NY na volta do feriado.

Contra tudo temos vacina

Dia promete ser de mais recuperação da Bovespa, dólar fraco e juros em queda.