Mercado chinês está cada vez mais atrativo ao investimento estrangeiro

O investimento estrangeiro direto (IED) da China manteve o crescimento de dois dígitos do ano passado desde o início deste ano, informou China Securities Journal administrado pela Xinhua.

Foto aérea tirada em 28 de dezembro de 2021 mostra a nova fábrica de Tiexi da BMW Brilliance Automotive (BBA) em obras em Shenyang, Província de Liaoning, no nordeste da China. (Xinhua/Yang Qing)

Xinhua - Silk Road

Beijing, 28 jul (Xinhua) — O investimento estrangeiro direto (IED) da China manteve o crescimento de dois dígitos do ano passado desde o início deste ano, informou China Securities Journal administrado pela Xinhua.

Os fundamentos sólidos do crescimento econômico de longo prazo da China, o apelo do seu mercado massivo e o ambiente de negócios em contínua otimização são as principais razões pelas quais os investidores estrangeiros continuam aumentando o investimento no mercado chinês.

 

— Investimento crescente

O BMW Group e várias multinacionais estão aumentando o investimento na China este ano, o que demonstra que as empresas de investimento estrangeiro (FIEs, em inglês) mantêm confiantes no mercado chinês e na perspectiva de longo prazo de operação na China, Shu Jueting, porta-voz do Ministério do Comércio (MOC) da China, disse recentemente.

Dados do MOC mostram que, nos primeiros cinco meses deste ano, o valor integralizado de grandes projetos de investimento estrangeiro com mais de 100 milhões de dólares de valor contratual atingiu 47,68 bilhões de dólares, um aumento anual de 40,3% e representando 54,3% do IDE em uso real durante o período.

O impulso para o investimento acelerado na China pelas FIEs são o sistema industrial completo do país, o mercado massivo e os fundamentos do crescimento econômico de longo prazo. De acordo com dados do Departamento Nacional de Estatísticas, o Produto Interno Bruto (PIB) da China cresceu 2,5% ano a ano no primeiro semestre, mostrando um momento de recuperação estável.

A forte resiliência da economia chinesa e a demanda ativa do mercado fortaleceram a determinação do BMW Group de expandir o seu investimento na China. O grupo continuará fazendo inovações e participando ativamente do desenvolvimento sustentável e de alta qualidade da economia chinesa, disse Jochen Goller, presidente e CEO do BMW Group Region China.

Com perspectivas positivas de desenvolvimento de longo prazo e ambiente de mercado continuamente em evolução, a economia chinesa continua a atrair investimentos diretos e fluxos de capital para fins de alocação de ativos de médio e longo prazo, disse Wang Chunying, vice-chefe da Administração Estatal de Divisas, acrescentando que a economia chinesa pode trazer retornos relativamente estáveis ​​para os investidores internacionais, o que oferece um impulso ao seu investimento de longo prazo na China.

Wang também observou que, além da entrada de novos capitais de investimento e empréstimos de acionistas, muitas FIEs reinvestiram uma parte significativa dos seus lucros na China. Em comparação com outras grandes economias, a China viu uma proporção relativamente maior dos lucros dos FIEs reinvestidos no país.

 

— Ambiente de negócios em evolução

A China adotou uma série de medidas para estabilizar o investimento estrangeiro, com foco na promoção de um ambiente de negócios internacionalizado e baseado no mercado e na lei, visando impulsionar o desenvolvimento de empresas multinacionais na China.

O MOC trabalhará com os governos locais e os departamentos relevantes para fornecer um ambiente mais favorável e serviços melhores para o desenvolvimento das FIEs na China, de acordo com Qian Keming, vice-ministro do MOC.

Apesar de enfrentar os desafios trazidos pela pandemia do COVID-19, as vendas da Panasonic na China ainda mantiveram um crescimento de dois dígitos. O desempenho não pode ser alcançado sem uma série de políticas direcionadas para a estabilidade do investimento estrangeiro e para o aprimoramento do ambiente de negócios, disse Zhao Bingdi, vice-presidente da Panasonic China & Northeast Asia Company.

A economia chinesa está navegando em direção ao desenvolvimento sustentável e de alta qualidade, com o seu ambiente de negócios mais alinhado com os padrões internacionais, disse Wu Chun, sócio-gerente do Boston Consulting Group Greater China, observando que tudo isso é propício ao desenvolvimento das FIEs na China.

De acordo com a Pesquisa de Confiança Empresarial 2022 (BCS) divulgada pela Câmara de Comércio da União Europeia na China em junho, as empresas europeias que operam na China estão otimistas sobre o ambiente de P&D e inovação do país, com 40% delas dizendo que o ambiente de P&D e inovação da China é melhor que a média mundial.

Os esforços incansáveis ​​da China para melhorar seu ambiente de negócios aumentaram a confiança das FIEs no mercado chinês e fortaleceram as suas determinações de expandir o investimento na China, disse recentemente Feng Yaoxiang, porta-voz do Conselho Chinês para Promoção do Comércio Internacional (CCPIT, sigla em inglês) em uma entrevista coletiva.

 

— Mais políticas de apoio

Mais medidas foram colocadas na agenda para estabilizar ainda mais o investimento estrangeiro. Por exemplo, os departamentos relevantes estão acelerando a revisão do catálogo de indústrias que incentivam o investimento estrangeiro, no objetivo de incentivar o investimento estrangeiro em campos mais amplos. As autoridades também estão se agilizando para melhorar os mecanismos para atender as principais empresas de comércio exterior e ajudá-las a fazer bom uso das políticas preferenciais de acordos de livre comércio, como o acordo da Parceria Econômica Regional Abrangente (RCEP).

Em termos de promoção de projetos, os departamentos relevantes estão fazendo um balanço de grandes projetos de investimento estrangeiro no valor de mais de 100 milhões de dólares e oferecendo serviços de suporte, de modo a promover a implementação antecipada, operação e cumprimento das metas de capacidade dos projetos.

Em relação à melhoria do ambiente de negócios, o MOC está compilando o guia de investimento estrangeiro e aprimorando políticas de apoio, a fim de atrair investimento estrangeiro em áreas como manufatura e centros de P&D.

Com esses fatores favoráveis, espera-se que o IDE da China no segundo semestre atinja um crescimento constante, disse Zhao Ping, vice-reitor da CCPIT Academy, em entrevista ao China Securities Journal. Fim

Leia também:

China remove restrições de capital para estrangeiros no setor bancário

Xinhua Silk Road
Agência de notícias oficial do governo da República Popular da China.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Investidores favorecem ETFs médicos em meio a flutuações de mercado

As ações dos fundos negociados em bolsa (ETFs) médicos da China se recuperaram recentemente a favor da compra dos investidores, apesar do seu desempenho fraco em geral, informou Xinhua Finance nesta quarta-feira.

Baidu da China operará taxis autônomos em duas cidades

A gigante chinesa de tecnologia Baidu obteve a permissão para operar comercialmente táxis totalmente autônomos em vias públicas nas cidades de Wuhan e Chongqing.

SF Supply Chain fortalece a cooperação com o Grupo Michelin

A SF Supply Chain, o provedor líder de serviços de cadeia de suprimentos na China, anunciou recentemente que fornecerá soluções integradas e inovadoras de cadeia de suprimentos ao fabricante francês de pneus, Michelin Group, para fortalecer ainda mais a cooperação de cinco anos entre os dois lados, informou o comnews.cn nesta terça-feira.

Últimas Notícias

Burocracia bancária faz sete em cada 10 brasileiros perderem dinheiro

Já Pix alcança o segundo lugar no ranking de meios de pagamento aceitos pelo comércio eletrônico.

‘Americano’?

Por Eduardo Marinho.

Jô Soares, eterno em nossos corações e mentes

Por Paulo Alonso.

Microcrédito para taxistas será votado na terça

Projeto de André Ceciliano abre linha de até R$ 80 mil para renovar frota.

Safra de grãos deve ser de 271,4 milhões de t em 2021/22

Levantamento é da Conab; já queda nas safras leva à retração da Região Sul no primeiro trimestre.