Mercado de cavalos cresce no Brasil e movimenta R$ 16 bi por ano

O Brasil está enfrentando uma crise econômica que afetou diferentes setores, porém, o mercado de cavalos continua crescendo e se...

O Brasil está enfrentando uma crise econômica que afetou diferentes setores, porém, o mercado de cavalos continua crescendo e se tornou um dos mercados mais lucrativos dentro do agronegócio. Segundo a Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM), o setor fatura aproximadamente 16 bilhões de reais por ano, emprega 3 milhões de pessoas e cresceu 12% em apenas 10 anos. A perspectiva é de que o mercado nacional permaneça aquecido.

De acordo com a Federação Internacional da Agricultura (FAO), o Brasil possui a quarta maior tropa de cavalos do mundo. Atualmente, a tropa brasileira possui 5.496.817 cavalos e esse número é reflexo do alto investimento em melhoramento genético, nutrição, medicamentos, profissionais e treinadores.

Em 2017, o setor de equinos também recebeu um grande investimento em eventos, entre eles, competições, circuitos de hipismo e leilões. Com uma média de 10 eventos por semana, segundo a Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM), os eventos têm sido um grande sucesso e cada vez conseguem atrair mais público. Em média, o Brasil recebe 4 mil eventos de cavalos por ano.

 

Paraná – Levantamento da ABQM aponta que o Paraná concentra o segundo maior plantel de animais da raça do país. Com 47,3 mil cavalos registrados pela associação, o Estado fica atrás apenas de São Paulo, com 237 mil animais. Presente em todo o território nacional, o Quarto de Milha representa a maior raça equina do Brasil. Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a tropa já ultrapassa os 540 mil animais, no Stud Book da raça.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Para 48%, recém-formados são os mais afetados no mercado de trabalho

Pesquisa feita com mais de 9 mil pessoas descobriu que 25% fazem parte da Geração Nem Nem, que não trabalha nem estuda.

SP registra queda de 13% em mortes de trânsito ante setembro de 2020

Número de óbitos caiu de 455 em setembro do ano passado para 396 no mesmo período de 2021.

Supermercados tiveram queda de 7,15% em vendas

Período avaliado em São Paulo foi de 12 meses, já Rio registra expansão de 41,5% de novas unidades no primeiro semestre.

Últimas Notícias

Lei de Melhoria do Ambiente de Negócios no Brasil

Por Letícia Luzia de Sousa Ramos e Renata Homem de Melo.

Para 48%, recém-formados são os mais afetados no mercado de trabalho

Pesquisa feita com mais de 9 mil pessoas descobriu que 25% fazem parte da Geração Nem Nem, que não trabalha nem estuda.

SP registra queda de 13% em mortes de trânsito ante setembro de 2020

Número de óbitos caiu de 455 em setembro do ano passado para 396 no mesmo período de 2021.

Supermercados tiveram queda de 7,15% em vendas

Período avaliado em São Paulo foi de 12 meses, já Rio registra expansão de 41,5% de novas unidades no primeiro semestre.