Mercado interno abriu em alta aguardando AGE

As principais Bolsas europeias fecharam em queda. Os investidores continuam receosos com a possibilidade de aumento da inflação. O anúncio de Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu (BCE), amenizou as perdas do dia, ao afirmar que a instituição está a monitorar os preços da economia. Londres teve queda de 0,18%. Frankfurt perdeu 0,31%. Paris teve retração de 0,11%. Milão recuou 0,55%. Na Península Ibérica, houve quedas em Lisboa e em Madri de 0,91% e 0,28%, respectivamente.

Nos EUA, as Bolsas em Nova Iorque fecharam mistas. O recuo técnico de ações de tecnologia fizeram os índices Nasdaq e S&P 500 caírem 2,46% e 0,77%, respectivamente. Os balanços contribuíram para a alta do Dow Jones em 0,09%.

No Brasil, o principal índice da B3 teve forte queda, devido aos problemas de ingerência do governo em relação à Petrobras. As ações da estatal tiveram queda de 21,51% e o Ibovespa teve perda de 4,87%, a 112.667,70 pontos. Os desdobramentos da interferência do governo na companhia geraram temor aos investidores, criando expectativas de interferência em outras companhias públicas. O dólar teve alta de 1,27%, a R$ 5,45.

Os mercados na Ásia fecharam mistos tendo em vista a recuperação e o aumento da inflação. Na China, Xangai teve queda de 0,17% e Shenzhen caiu a 0,85%. Hong Kong e Taiwan tiveram avanços de 1,03% e 0,20%, respectivamente. Nikkei não operou e Seul teve retração de 0,31%.

No exterior os mercados abrem em queda, levando em conta as perspectivas de inflação e aguardando o discurso de Jerome Powell, presidente do Fed. No Brasil, o mercado ficará atento aos balanços e à Assembleia Geral Extraordinária da Petrobras para decidir os próximos passos da companhia. Após o silêncio de Paulo Guedes, o ministro da Economia participará de eventos, sinalizando seu posicionamento quanto às medidas do presidente Jair Bolsonaro. Além disso, Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, falará com André Brandão, presidente do Banco do Brasil.

O Tesouro fará oferta de NTN-Bs para 2026, 2030 e 2055. Após forte queda, o futuro do índice abriu com alta acima de 1,5%, enquanto o futuro do dólar teve leve alta, em torno de 0,10%.

Na Europa, foram divulgados os indicadores de inflação, com os números dentro do esperado. A Eurostat divulgou alta de 0,9% ao ano na inflação para janeiro e alta de 0,2% ao mês, contra +0,3% em dezembro. O núcleo do IPC apresentou queda de 0,5% ao mês e elevação de 1,4% ao ano. Quanto ao desemprego, a instituição apresentou alta de 5,1%, contra 5,0% em dezembro.

No Reino Unido, o emprego teve variação negativa, com perda de 114 mil empregos contra expectativas de queda de 30 mil. Todavia, o número de desempregados teve queda de 20 mil, ante expectativa de aumento de 35 mil. Já o rendimento semanal teve alta de 4,7%, contra avanço de 3,7% em dezembro.

Nos EUA, os indicadores mais importantes incluem os preços de imóveis S&P/CS Composto-20 (s.a.s.) para dezembro, com expectativa de +9,9%; e a Confiança do Consumidor do Conference Board, com perspectivas de 90,0 pontos, contra expectativa de 89,3 pontos. À noite, a API divulgará os estoques de Petróleo Bruto produzido pelo setor privado. Outro evento importante é depoimento de Powell.

No Brasil, serão divulgados os balanços de GPA, Smiles e Unidas. No exterior, serão divulgados HSBC, Thomson Reuters, Bank of Nova Scotia, Bank Montreal e outros.

.

Matheus Jaconeli

Economista

Nova Futura Investimentos

Leia mais:

Mexendo com as expectativas

Investidores seguem monitorando as estatais

Bolsas sofrem impacto causado por Petrobras

Artigos Relacionados

Mercados globais continuam receosos com aumento dos preços

Principais índices da Europa caíram devido ao movimento de alta dos yelds; Paris perdeu 0,24%.

Ibovespa futuro sobe no momento, mas com muita cautela

Bolsas globais recuam em meio a preocupações com a inflação nos EUA.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Presidente do Banco do Brasil joga a toalha

Centrão tem interesse no cargo.

Imóveis comerciais tiveram estabilidade em janeiro

Nos últimos 12 meses, entretanto, preços de venda e locação do segmento acumulam quedas de 1,32% e 1,18%, respectivamente.

Contas públicas têm superávit de R$ 58,4 bilhões em janeiro

Dívida bruta atinge 89,7% do PIB, o maior percentual da história.

Presidente do Inep é exonerado do cargo

Medida foi publicada no Diário Oficial de hoje; até o momento, não foi anunciado o nome de quem o substituirá.

Primeiro caso de Covid-19 no Brasil completa um ano

Brasil tem novo recorde de mortes diárias, diz Fiocruz; boletim informa que houve ontem 1.148 mortes.