Mercado local cai em meio a preocupações dos investidores com estatais

No exterior, as Bolsas mundiais operam no vermelho.

A segunda-feira deve ser de perdas nos ativos locais após a interferência do presidente da república, Jair Bolsonaro, no comando da Petrobras. O nome escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro foi o do general da Reserva Joaquim Silva e Luna para assumir a presidência da companhia. Esse ato gerou uma onda de pessimismo em relações as estatais, principalmente a Petrobras, Eletrobrás e Banco do Brasil. Sendo assim, as ações das mesmas tendem a cair bastante no pregão de hoje. Além disso, a semana traz uma agenda interna agitada com IPCA-15, muitos balanços, como os da Vale e Petrobrás. Entrando brevemente na política brasileira, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para destravar o auxílio emergencial ao presidente do Senado deve ser pautada na próxima quinta-feira. O Supremo Tribunal Federal (STF) encaminhou ao procurador-geral da República, Augusto Aras, uma acusação do PDT contra o presidente Jair Bolsonaro por difusão de cloroquina para tratar covid-19. No momento, o futuro do índice Ibovespa está caindo 4,51% e o dólar está subindo 2,57% em relação a abertura.

No exterior, os índices futuros das Bolsas de Nova Iorque estão no vermelho, à medida que os juros dos Treasuries de mais longo prazo mantêm a tendência recente de alta com o possível aumento da inflação e com as expectativas de recuperação econômica.

Às 7h20, no mercado futuro, o Dow Jones caía 0,59%, o S&P 500 recuava 0,73% e o Nasdaq se desvalorizava 1,11%. Entre os Treasuries, o rendimento da T-note de 2 anos aumentava a 0,104%, o da T-note de 10 anos avançava a 1,373% e o do T-bond de 30 anos subia a 2,167%. Na Europa, as Bolsas também recuam seguindo o mau humor de Wall Street. Às 7h19, a Bolsa de Londres caía 0,82%, enquanto a de Frankfurt recuava 0,64% e a de Paris cedia 0,65%. O euro estava em US$ 1,2117, de US$ 1,2122 no fim da tarde de sexta-feira. A libra era cotada a US$ 1,4022, de US$ 1,4006. Na Ásia, as Bolsas fecharam em baixa nesta segunda-feira devido uma preocupação de que o banco central chinês volte a apertar sua política monetária. O Xangai Composto recuou 1,45%. O Hang Seng caiu 1,06% em Hong Kong, e o sul-coreano Kospi se desvalorizou 0,90% em Seul. O japonês Nikkei subiu 0,46% em Tóquio. Na Oceania, o S&P/ASX 200 caiu 0,19% em Sydney. Às 7h18, o dólar estava em 105,59 ienes, de 105,47 ienes no fim da tarde de sexta-feira em NY.

.

Equipe Travelex Bank

Leia mais:

Queda da Petrobras altera mercados

Dia de temores quanto a desdobramento na Petrobras

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Por que as projeções do PIB estão sendo revistas para cima?

Crescimento melhora, mas deve perder ritmo ao final do ano e início de 2023

Mercados em alta no exterior e destaque nacional para varejistas

No Brasil, após o Ibovespa ter caído acompanhando o mau humor de final de dia em NY, o mercado pode acompanhar o bom humor externo.

26ª Bienal do Livro de SP movimenta R$ 347,8 mi e gera 3.400 empregos

Evento atraiu 660 mil visitantes.

Últimas Notícias

Fiagros têm captação líquida satisfatória até junho

Esses fundos entraram em operação em agosto de 2021

Vendas financiadas de veículos leves e pesados crescem pouco

Em relação a julho de 2021, no entanto, queda é de 18,8%

Índices influenciaram o mercado nesta semana

Ibovespa encerrou nesta sexta-feira com alta de 2,33%

Petrobras informa sobre venda de direitos minerários de potássio

A Petrobras informa que iniciou a etapa de divulgação da oportunidade (teaser), referente à venda de seus direitos minerários para pesquisa e lavra de...

China aposta no controle da inflação este ano

BPC: condições favoráveis para manter os preços geralmente estáveis