Mercados indefinidos

Na agenda do dia, teremos as vendas no varejo de julho e levantamento sistemático da produção agrícola de agosto.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Ontem os mercados de risco no mundo tiveram dia de recuperação e maior tranquilidade, com otimismo sobre apreciação da recuperação econômica global e esperando avaliação hoje pelo Banco Central Europeu (BCE) da Zona do Euro. O petróleo em forte alta e a recuperação da Nasdaq ajudaram bastante. A Bovespa encerrou com alta de 1,24% e índice em 101.292 pontos, sem conseguir sair daquele intervalo que temos marcado como importante para definição, o Dow Jones com alta de 1,60% e o Nasdaq com +2,71%, depois da forte pressão vendedora sobre as gigantes de tecnologia.

Hoje mercados ainda com comportamento indefinido, mas buscando alguma recuperação, aguardando a agenda do dia que pode definir melhor a tendência de curto prazo, notadamente o comunicado do BCE, que não deve mexer na política monetária, mas pode encaminhar avaliação mais positiva da economia.

As Bolsas da Ásia encerraram na madrugada com comportamento misto. Comportamento misto também para as Bolsas europeias nesse início de manhã e futuros do mercado americano operando no campo negativo. Aqui devemos acompanhar o mercado internacional, tendo como vetor importante a divulgação das vendas no varejo em julho, com previsão de expansão ao redor de 5,30%. Há espaço para a Bovespa tentar seguir em recuperação.

No segmento internacional, a presidente da Câmara americana, Nancy Pelosi, disse que não haverá acordo comercial com o Reino Unido se violarem o tratado do Brexit sobre a Irlanda do Norte sob jurisdição alfandegária de Londres. Já o candidato democrata, Joe Biden, disse que pode elevar impostos sobre lucros de empresas americanas que produzem no exterior e vendem no país.

No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em Nova Iorque, depois da grande alta de ontem, mostra contração de 1,60%, com o barril cotado a US$ 37,44, com os estoques API ampliando na semana 3,0 milhões de barris. O euro era transacionado em alta para US$ 1,184 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 0,7º9%. O ouro estável e a prata em alta na Comex e commodities agrícolas com viés de queda na Bolsa de Chicago.

Aqui a Fipe divulgou o IPC da primeira quadrissemana de setembro em +0,91%, vindo de 0,78%. Já a área econômica confirmou que a Camex zerou a alíquota de importação de arroz para tentar reduzir a escala de preço do produto.  O relator do Pacto Federativo adiou a entrega do parecer para incluir o programa Renda Brasil.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, disse que se o governo colocar a CPMF em discussão vai complicar bastante o andamento no Congresso da reforma tributária e acrescenta que existe pressão para manter o auxílio emergencial em R$ 600, mas ele é favorável a R$ 300.

Na agenda do dia, teremos as vendas no varejo de julho e levantamento sistemático da produção agrícola de agosto, o BCE anuncia sua decisão sobre política monetária e nos EUA teremos o PPI de agosto, os pedidos de auxílio-desemprego da semana anterior e estoques de petróleo e derivados pelo DOE.

O dia pode ser de alta da Bovespa (mas está complicado pelo desempenho externo), dólar mais fraco e juros com viés de alta.

.

Alvaro Bandeira

Sócio e economista-chefe do Banco Digital Modalmais

Fonte: www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor