31.6 C
Rio de Janeiro
sábado, janeiro 23, 2021

Mercados perdem tração

Ontem foi dia de mercados acionários sem grande empolgação no mundo. A Bovespa terminou o dia com alta de 0,60% no finalzinho, com índice em 123.998 pontos; o Dow Jones, com + 0,19% e Nasdaq, com +0,28%. Dólar por aqui é que sofreu forte queda de 3,29%, cotado em R$ 5,32, por conta de performance fraca no mercado internacional e por captações realizadas por empresas locais.

Mas, o fantasma da Covid-19 ainda assombra os investidores em todo o mundo com recordes de contaminações, lockdowns (confinamentos) estendidos e mais restrições em países, além de vacinação ainda lenta, principalmente nos EUA. Aqui, só para pontuar, nem sonhos em começar.

Hoje, mercados da Ásia encerraram o dia com comportamento misto, com destaque para Tóquio em alta de 1,04% e maior pontuação em 30 anos, Europa operando no início do dia em alta, mas já passando ao campo negativo e futuros dos EUA também indo para negativo. Aqui, o objetivo está acima de 125 mil pontos do Ibovespa, depois de ter perdido esse patamar na semana passada, mas o comportamento externo inibe a recuperação.

Sobre Covid-19, a Indonésia começou a imunizar a população com a Coronavac, enquanto aqui as disputas políticas retardam a aplicação emergencial. No próximo domingo, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) se reúne para decidir sobre aplicação emergencial. Já as estatísticas mostram que temos 204.690 óbitos e 8,2 milhões de infectados.

Nos EUA, a Câmara aprovou ontem pedido de afastamento do presidente Donald Trump, depois de Mike Pence dizer que não faria uso da emenda 25. Houve vários votos favoráveis ao impeachment por parte de republicanos. Já Christine Lagarde, do Banco Central Europeu (BCE) repetiu que a ajuda fiscal deve ser eficaz e rápida na região e reafirmou que se necessário pode ampliar a flexibilização monetária. Na Zona do Euro, a produção industrial de novembro expandiu 2,5%, quando o esperado era contração de 0,3%.

Nos EUA, os estoques de petróleo da API mostraram contração de 5,8 milhões de barris na semana anterior, e hoje é a vez da divulgação dos estoques de petróleo e derivados pelo departamento de Energia americano. No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em Nova Iorque mostrava alta de 0,30%, com o barril cotado a US$ 53,37. O euro era transacionado em queda para US$ 1,218 e notes americanos de 10 ano com taxa de juros de 1,13%. O ouro e a prata tinham altas na Comex e commodities agrícolas em alta na Bolsa de Chicago.

Rodrigo Maia disse que a situação da Ford só mostra a necessidade de reforma tributária. O IPC da Fipe, da primeira quadrissemana de janeiro, ficou estável em 0,79%.

Na agenda do dia, teremos dados com capacidade de interferir na tendência dos mercados como o CPI (inflação consumidor) americano de dezembro e resultado fiscal de dezembro nos EUA. Aqui, o IBGE anuncia o volume de serviços prestados em novembro.

.

Alvaro Bandeira

Sócio e economista-chefe do Banco Digital Modalmais

Leia mais:

Mercado interno opera morno seguindo exterior

Tensão na política norte-americana

Artigos Relacionados

Copom está alinhado com maioria da expectativa do mercado

Considerando foco na inflação de 2022, estamos considerando agora que BC começará a aumentar Selic em maio e não em agosto.

Primeira prévia dos PMI’s e avanço da Covid-19

Bolsa brasileira sucumbe ao terceiro dia de queda, mediante aos temores fiscais.

Exterior em baixa

Queda acontece em meio às preocupações com problemas para obtenções de vacinas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Copom está alinhado com maioria da expectativa do mercado

Considerando foco na inflação de 2022, estamos considerando agora que BC começará a aumentar Selic em maio e não em agosto.

Primeira prévia dos PMI’s e avanço da Covid-19

Bolsa brasileira sucumbe ao terceiro dia de queda, mediante aos temores fiscais.

Exterior em baixa

Queda acontece em meio às preocupações com problemas para obtenções de vacinas.

Más notícias persistem

Petróleo negociado em NY mostrava queda de 2,60% (afetando a Petrobras), com o barril cotado a US$ 51,75.

Mercado reagirá ao Copom e problemas internos

Na Europa, Londres teve alta de 0,41%. Frankfurt teve elevação de 0,77%. Paris teve ganhos de 0,53%.