Mercados recuperam na parte da tarde

Semana começou com menos otimismo em função do lado político mais pesado.

Opinião do Analista / 11:16 - 11 de ago de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Ontem foi dia de comportamento misto nos mercados acionários da Ásia, Europa abrindo diante de maior otimismo e mercados americanos indefinidos durante boa parte do dia e com realizações no segmento de tecnologia. Aqui, na parte da tarde, observamos boa melhora nas ações líderes trazendo a Bovespa para o campo positivo e com oscilação de mais de 2 mil pontos entre a máxima e a mínima do dia.

Aqui, começamos a semana com menos otimismo em função do lado político mais pesado e questionamentos com relação à reforma tributária e teto de gastos, em que o governo pode ser testado com a discussão dos vetos sobre desoneração da folha de pagamentos e qual será o comportamento do "Centrão" nessas discussões.

No exterior, depois de Donald Trump ter baixado a diretriz executiva dando início para novo pacote de estímulos fiscais, democratas e republicanos parecem ter acordado e podem retomar negociações do pacote. Trump e o secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, confirmam a postura de negociar com a oposição. A presidente da Câmara, Nancy Pelosi, e o senador Chuck Schumer querem realizar um acordo.

Ainda no exterior, a União Europeia defendeu a liberdade de imprensa em Hong Kong depois da prisão de editor de jornal enquadrado na nova Lei de Segurança Nacional. Nos EUA, o indicador Jolts anotou a abertura de 5,8 milhões de vagas em junho, vindo de 5,54 milhões. Falando de Covid-19, a Austrália atingiu nesse final de semana o pico de contágio, e na Zona do Euro o índice Sentix de sentimento dos investidores subiu pelo quarto mês seguido para -13,4 pontos.

No mercado internacional, a recuperação do preço do petróleo ajudou na performance das ações de Petrobras e a expectativa de retomada da economia chinesa ajudou no comportamento dos metais. O óleo WTI negociado em Nova Iorque mostrava alta de 2,04%, com o barril cotado a US$ 42,06. O euro era transacionado em queda para 1,175 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 0,57%. O ouro e a prata com altas na Comex e commodities agrícolas com comportamento misto na Bolsa de Chicago.

No segmento doméstico, a nova pesquisa semanal Focus do BC veio com poucas mudanças com a inflação estável em 1,63% para 2020. O PIB melhorando mais um pouco para contração de 5,62% e dólar estável no final do ano em R$ 5,20. A FGV anunciou que a primeira prévia do IGP-M de agosto subiu para 1,46% (anterior em 1,18%), acumulando alta em 2020 de 8,27% e em 12 meses com 11,61%. O IPC-S da primeira quadrissemana do mês foi de 0,54%.

A Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) divulgou que as captações do mês de julho expandiram 40% e atingiram R$ 34 bilhões, sendo R$ 15,6 bilhões em renda fixa (CRIs, CRAs, notas) e R$ 13,9 bilhões em renda variável (IPOs e Follow-ons). Em julho de 2019, as captações nesse segmento tinham sido de R$ 25,7 bilhões. O saldo da balança comercial na primeira semana de agosto mostrou superávit de US$ 2,1 bilhões, acumulando superávit no ano de US$ 32,1 bilhões.

No mercado, dia de dólar oscilando entre negativo e positivo para fechar com +0.92% e cotado a R$ 5,47. Na Bovespa, na sessão do dia 6, os investidores estrangeiros sacaram somente R$ 5,2 milhões, deixando o saldo positivo de agosto em R$ 3,2 bilhões, mas no ano, saídas líquidas de R$ 81,7 bilhões.

No mercado acionário, dia de alta de 0,31% na Bolsa de Londres, Paris com +0,41% e Frankfurt com +0,10%. Madri e Milão com altas de respectivamente 1,49% e 0,69%. No mercado americano, dia de Dow Jones com +1,30% e Nasdaq com -0,39%. Na Bovespa, dia de +0,65% e índice em 103.444 pontos, com boa valorização das ações líderes.

Na agenda desta terça, teremos o levantamento sistemático da produção agrícola e a produção industrial regional e, logo cedo, a ata da última reunião do Copom que reduziu a Selic para 2%. Nos EUA, a inflação no atacado pelo PPI de julho e relatório de oferta e demanda agrícola pela USDA, além de outros discursos.

.

Alvaro Bandeira

Sócio e economista-chefe do Banco Digital Modalmais

Fonte: www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor