Mercosul com sotaque

Apresentada como mais uma prova da inviabilidade da integração do Mercosul, a recém-disputa na Organização Mundial do Comércio (OMC), causada pela taxação pelo Brasil da importação de resina PET da Argentina, é muito mais um contencioso comercial de multinacionais do que uma crise entre os dois países. A taxa de 34% imposta pelo governo brasileiro foi feita a pedido da italiana M&G, segunda maior fornecedora mundial do produto e desejosa de manter seu monopólio no Brasil, no qual é a única produtora de PET. Já a ida direta à OMC, ignorando os trâmites regionais, como o Tribunal Arbitral do Mercosul, deu-se por pressão da Voridian, que, embora sediada na Argentina, é subsidiária da norte-americana Eastman, maior produtora mundial de PET. Ou seja, é briga de gringo.

Cartório em baixa
Aumentos de até 2.400% no valor de custas em cartório no Rio de Janeiro foram declarados nulos pelo novo corregedor-geral de Justiça, desembargador Luiz Zveiter, através da Portaria n° 824, de 29 de dezembro. Segundo o sindicato da construção fluminense (Sinduscon-Rio), foi publicada nova tabela, através da Portaria 823/2006, que valerá este ano. O valor de uma averbação de habite-se, por exemplo, que havia sido majorado para R$ 451,30, fica reduzido a R$ 18,56.

Marketing news
Especialistas do mercado publicitário do eixo Rio-São Paulo andam batendo cabeça para calcular quanto custa a um governante ter quase uma dezena de fotos publicadas em apenas dois dias num mesmo jornal.

Despedida
Às vésperas de deixar a presidência da Eletrobrás, na virada do ano, Aloiso Vasconcelos fechou o restaurante que serve à diretoria para almoçar com seus colaboradores. O clima foi de velório.

Prioridades
Corrente mais numerosa de oposição à cúpula que controla o PT, a Articulação de Esquerda (AE) afirma, em suas teses para o III Congresso, que o partido realizará este ano, que, em seu primeiro mandato, o Governo Lula PT não cumpriu as metas do Plano Nacional de Reforma Agrária. A AE diz ainda que o governo petista priorizou a liberação de financiamentos para os grandes grupos nacionais e internacionais, em detrimento da agricultura familiar.
“Apesar de responder por cerca de 80% dos empregos no campo, a agricultura familiar recebeu apenas 20% (R$ 10 bilhões, em 2006) dos recursos destinados ao agronegócio (R$ 50 bilhões, em 2006). Não bastasse isto, ainda foi liberado o plantio e a comercializacão dos produtos transgênicos, resultando em grande prejuízo ao meio ambiente, saúde humana e soberania alimentar”, critica a AE.

Pressupostos
A AE, à qual pertence o primeiro vice-presidente do PT, Valter Pomar, salienta que reforma agrária “pressupõe desconcentrar a propriedade da terra, alterando a estrutura fundiária que atualmente mantém 46% da área registrada nas mãos de 1,7% dos proprietários”. “Pressupõe também tornar produtivos os 133 milhões de hectares de terras sabidamente improdutivas. Pressupõe ainda a limitação do tamanho máximo da propriedade.”

Governo ético
Corrupção será tema em destaque no I Congresso Internacional de Direito Contemporâneo, que contará com a presença dos ministros do Supremo Tribunal Federal Gilmar Ferreira Mendes e Enrique Ricardo Lewandowski. O congresso, cujo tama central é “Bom Governo – Aspectos Éticos e Luta contra a Corrupção”, é promovido pela Faculdade Moraes Júnior-Mackenzie e será realizado de 14 a 16 de março, no Jockey Club Brasileiro (Centro do Rio de Janeiro). Também estarão presentes o ex-governador de São Paulo Cláudio Lembo e representantes de países como Venezuela e Espanha. Inscrições e informações: www.moraesjunior.edu.br

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBrasil real
Próximo artigoAo vivo

Artigos Relacionados

Engie valerá R$ 2,5 bi a mais após acordo com Aneel

Semana passada, o Monitor noticiou que a proposta da Aneel de repactuação do risco hidrológico (GSF) deixaria a conta a ser paga pelo pequeno...

Apelo de Biden ao multilateralismo fica sem crédito

Na ONU, presidente dos EUA desmente mundo dividido em blocos rígidos.

Fintechs e bancos disputam quem cobra mais

‘Não temos vergonha de sermos bancos’, diz Febraban; mas deveriam.

Últimas Notícias

Uma Assembleia da ONU para ser esquecida

Brasil em situação cada vez mais fragilizada no âmbito internacional.

Eletricidade fez grupo habitação puxar IPC-S para cima

Indicador sobe 1,27% na terceira quadrissemana de setembro.

#Occupy Bovespa

Um mês depois de o MST ter-se lançado na Bolsa, MTST ocupa B3, para protestar contra Bolsonaro, especulação, fome e desemprego.

Copom elevou taxa de juros em 1% para 6,25% ao ano

Aguardamos agora a ata que será divulgada na próxima terça-feira para maiores informações sobre a trajetória da taxa Selic.

Alemanha escolhe sucessor de Merkel no próximo domingo

Eleições deverão ser as mais concorridas dos últimos anos; pesquisas indicam vitória do SPD, social-democrata.