Metroviários de SP aprovam greve a partir do dia 1º

Trabalhadores reclama de falta de aumento salarial e cortes em direitos.

São Paulo / 22:32 - 26 de jun de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Metroviários da capital de São Paulo aprovaram greve da categoria, a partir de 1º de julho, se o governador de São Paulo, João Dória (PSDB), seu secretário de Transporte, Alexandre Baldy, e a direção do Metrô insistirem no que os trabalhadores afirmam ser retirada dos direitos históricos da categoria.

A proposta foi aprovada por 90% dos metroviários que participaram da assembleia virtual da categoria, na noite de quinta-feira. O secretário de Transportes disse, em reunião virtual com o sindicato da categoria, nesta semana, que não haverá reajuste de salários e benefícios. Além disso, segundo os trabalhadores, o Metrô vai reduzir o valor das horas as extras de 100% para 50%, diminuir de 50% para 20% o adicional noturno, acabar com o adicional de risco de vida, com o auxílio-transporte, a complementação salarial para afastados por auxílio-doença e acidente de trabalho, entre outros benefícios.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor