Michelle recebeu de Queiroz o equivalente a 155 auxílios emergenciais

PSOL quer Comissão Parlamentar de Inquérito para apurar depósitos na conta da primeira-dama.

Conjuntura / 20:55 - 7 de ago de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A conta-corrente da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, recebeu R$ 93 mil em depósitos feitos por Fabrício Queiroz e sua esposa, Márcia Aguiar. O dinheiro foi transferido entre 2011 e 2016, segundo apuração de uma revista eletrônica, confirmada pela Folha de S. Paulo.

Queiroz, que é acusado de ser o operador de um esquema de desvio de dinheiro público conhecido por “rachadinha”, depositou 12 cheques de R$ 3 mil cada na conta da mulher do presidente Jair Bolsonaro entre outubro de 2011 e abril de 2013. De abril até dezembro de 2016, foram repassados mais R$ 40 mil em dez cheques de R$ 4 mil.

Márcia, por sua vez, enviou para Michelle, de janeiro a julho de 2011, R$ 17 mil, em cinco cheques de R$ 3 mil e um de R$ 2 mil. No total, R$ 93 mil. “São 155 prestações do auxílio emergencial, pagos durante 12 anos e 9 meses”, compara o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP).

Requerimento da bancada do PSOL na Câmara dos Deputados pede abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar o envolvimento da primeira-dama com Fabrício Queiroz.

Quando confrontado, em 2018, com depósitos na conta de Michelle que somavam R$ 24 mil, Bolsonaro disse que se tratava de pagamento de um empréstimo que fizera a Queiroz, e que no total teriam sido devolvidos R$ 40 mil. O presidente nunca apresentou provas de que o empréstimo foi feito. Agora, terá que explicar mais R$ 53 mil. A primeira-dama não tem direito a foro especial.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor