Mídia brasileira ignora negócios do presidente paraguaio

Reverbera no Paraguai o silêncio da mídia tradicional do Brasil em relação ao escândalo de Itaipu. Nesta terça-feira, a mídia paraguaia divulgou novas denúncias, que indicam que o presidente Mario Abdo Benitez estava a par das negociações que prejudicavam seu país e caminhavam para beneficiar uma empresa brasileira, a Leros. Por trás de tudo, segundo a mídia vizinha, estaria a família Bolsonaro.

Não se tratam de meios de comunicação de esquerda. São órgãos tradicionais do Paraguai, que obtiveram trocas de mensagens entre os personagens envolvidos (Vaza Jato faz escola). O ABC sustenta que o presidente do Paraguai “recebeu pressões do Brasil para assinar a ata secreta de 24 de maio”, que faria seu país pagar US$ 200 milhões a mais por ano pela energia de Itaipu. E as pressões teriam vindo do Planalto, não do Itamaraty. Pelo lado brasileiro, representando a Leros, estaria Alexandre Giordano, suplente do senador Major Olímpio (PSL-SP), líder de Bolsonaro no Senado e aliado fiel da família.

Tudo isso pode não passar de uma interpretação equivocada da imprensa paraguaia. Ou de mensagens manipuladas. Mas, no mínimo, haveria o dever de noticiar, ainda que com todas as ressalvas. Porém, a mídia tradicional brasileira reverbera as notícias sobre o possível impeachment do presidente do Paraguai somente até a página 3 e corta qualquer menção a Bolsonaro; que vive às turras – aparentes – com a mesma mídia.

 

Marcação na pressão

Permitir ao trabalhador acompanhar os depósitos no FGTS e recuperar eventuais perdas, o Instituto Fundo de Garantia do Trabalhador (IFGT) lança na próxima segunda-feira o sistema FGT (fundodegarantia.com.br). O mecanismo vai permitir controlar os depósitos não realizados pelas empresas, fornecendo um extrato com o saldo atualizado mensalmente com juros e correção monetária, o crédito da distribuição de lucro devido sobre estes depósitos, além do valor da multa de 40% ou 20% em caso de demissão sem justa causa ou por acordo. Será lançado também um aplicativo com o mesmo nome para a plataforma Android.

Segundo Mario Avelino, presidente do IFGT, a Caixa, gestora do Fundo de Garantia, só mostra o saldo do que é depositado pelas empresas e empregadores domésticos, o rendimento mensal e a distribuição de lucro do que foi depositado.

O governo só garante o que é depositado, o que não é depositado, ele tenta cobrar, se não consegue é um problema do trabalhador, que muitas vezes só recebe através de uma ação trabalhista, e somente os últimos cinco anos, pois em novembro de 2014 o STF reduziu a prescrição de 30 para 5 anos” explica Avelino. De acordo com a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, atualmente existe um débito de R$ 32 bilhões de FGTS não depositado por aproximadamente 225 mil empresas, onde uma parte delas está falida.

 

Líder em despesas

A sociedade ganhou benefícios em valores superiores a R$ 13,5 bilhões com o maior controle sobre o seguro obrigatório (Dpvat), segundo o Tribunal de Contas da União (TCU). Mas o Tribunal reclama que algumas de suas recomendações ainda não foram implementadas pela Susep.

O TCU considerou que a Susep cumpriu metade das 12 recomendações proferidas no Acórdão 2.609/2016. Uma das falhas está na identificação das despesas administrativas da Seguradora Líder (administradora do consórcio responsável pelo Dpvat) consideradas irregulares. Entre 2008 e 2012, o Tribunal apurou despesas de pouco mais de R$ 440 milhões que eram repassadas ao valor do seguro.

Também foi recomendada a reavaliação da estrutura administrativa da Susep e a inclusão de procedimento de auditoria com a finalidade de verificar a consistência dos dados relativos a pagamento de sinistros informados pela Seguradora Líder.

 

Subsídio liberal

Não existe almoço grátis, repetem os liberais. A publicação de balanços pela CVM ou pelo Diário Oficial eleva gastos com links, hospedagem, papel. Subsídio bancado por você, contribuinte, em benefício de grandes empresas. Será que a benesse também não teve custo?

 

Rápidas

A reinstalação da Frente Parlamentar em Defesa da Indústria Naval do Rio de Janeiro ocorrerá em 12 de agosto, às 10h, no plenário da Assembleia Legislativa (Alerj) *** O Hero Anime Festival aporta no Passeio Shopping entre 12 e 15 de agosto, com oficina de desenho, palestra sobre quadrinhos e outras atividades.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Argentina fechará com China parceria do Cinturão e Rota

Iniciativa pode ser pontapé inicial para desenvolvimento e integração da América Latina.

G20 analisa aumentar taxação de corporações, mas…

Proposta tem que ser vantajosa para todos, não só para as sedes das multinacionais.

Botes salva-vidas para a classe A

No mundo de negócios, é tudo uma questão de preço.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

‘Eu quero uma casa no campo…’

Êxodo urbano: mais de 1,3 milhão de famílias brasileiras pretendem migrar para áreas rurais.

Direita vence no Equador

Banqueiro Guillermo Lasso vence socialista Andrés Arauz no segundo turno da eleição.

Mercados internacionais abrem com cautela

Enquanto isso acontece lá fora, aqui Ibovespa ensaia leve alta.

Semana começando sob tensão

Desde a semana passada, segue a novela do Orçamento.

Eleição no Peru está indefinida. Empate técnico entre 5 candidatos

Primeiro turno será no domingo. segundo turno está previsto para o dia 6 de junho.