Milagre da multiplicação de apoiadores

Sempre deve-se ter cuidado com pesquisas encomendadas por quem tem interesse direto no resultado, ainda que realizadas por empresas conhecidas. É o caso da realizada pelo Ibope para o Apoie a Reforma, grupo que reúne 77 instituições que, como o nome entrega, defende as mudanças na Previdência.

Chama mais a atenção, porém, quando os resultados colidem com pesquisa feita pelo mesmo instituto, um mês atrás, também para outra entidade defensora da reforma, a CNI. Nesta, apenas 6% dos entrevistados afirmam que uma pessoa deve se aposentar com 65 anos ou mais. Pois na pesquisa divulgada nesta segunda-feira, feita pelo mesmo Ibope, o percentual dos que a idade mínima para aposentadoria deveria ser de 65 anos para homens, no setor público ou no privado, pulou para 62%. Tudo bem que os resultados de uma pesquisa dependem das perguntas feitas. Mas a diferença é estapafúrdia.

(Vale abrir parêntese: uma das questões era se a pessoa concordava com a frase “Aceito que as regras da aposentadoria mudem, desde que eu consiga taxas de juros mais baixas, menor inflação e mais emprego”. Que tal uma inversão: “Aceito que os juros baixem, para que tenhamos menor inflação e mais emprego, sem precisar mexer na Previdência”? Bem, esta, claro, nunca seria feita. Fecha parêntese)

Apesar de tudo, há fatos dos quais não se consegue fugir: a maior parcela dos brasileiros, 3 em cada 10, é totalmente contra a reforma, confessa a pesquisa do Apoie. Somados aos que são parcialmente contra, temos praticamente metade da população (49%). Apenas 19% apoiam integralmente as mudanças, e 25% são parcialmente a favor.

 

Só que não

Uma pergunta, na pesquisa encomendada ao Ibope pelos empresários que já esqueceram o que é produção e vivem de rendas no mercado financeiro, representa bem o rumo do levantamento: “Alguns especialistas avaliam que a reforma da Previdência vai gerar uma economia de aproximadamente R$ 1,2 trilhão em dez anos. Na sua opinião, esse dinheiro deve ser utilizado para pagar as aposentadorias ou deve ser investido em saúde, segurança, educação, transporte e obras pelo país?”

Claro que 77% responderam saúde etc. Só que o dinheiro do corte na Previdência não irá para nada disso. Será direcionado para pagar os juros da dívida, confessa o próprio ministro Paulo Guedes.

 

Produtividade nas patentes

O presidente do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), Cláudio Furtado, afirmou que o estoque de pedidos de patentes aguardando decisão será reduzido em 80% em dois anos. Durante o CAS Summit de Inovação, evento realizado pelo Chemical Abstracts Service, Furtado garantiu que o órgão aumentará em 350% a eficiência nas decisões técnicas. “Atualmente, tomamos 17 mil decisões técnicas por ano e passaremos a realizar 64 mil”, afirmou.

Uma das iniciativas é a simplificação do exame de patentes com o auxílio de um programa que oferece segurança jurídica às decisões, sem que o examinador perca a sua autonomia por decidir ou não pela concessão do registro, garante o presidente do INPI.

Atualmente, o atraso no registro de marcas e patentes no Brasil chega a 7,2 anos. A meta é reduzir para dois. “Se o Brasil produz 30 mil pedidos de patentes por ano, e a China, 1,5 milhão, existe algo de muito errado por aqui e estamos lutando para reverter este cenário”, disse Furtado.

A agilidade ajuda, mas o que diferencia os dois países neste campo é a forma como se desenvolve a economia. Lá, com empresas nacionais e planejamento centralizado; aqui, com multinacionais que deixam a inovação para suas matrizes.

 

Tá russo

Se a Globo é comunista e o conteúdo vazado evidenciá-la como Relações Públicas da Lava Jato, Marilena Chauí deverá retratação a Moro, por acusá-lo de agente da CIA. Ademais, “Russo” é o codinome dele no grupo de Telegram dos procuradores. Alerta, patriotas: esse Sergio é Sergei!

 

Rápidas

Este é o último mês para inscrição no Prêmio CFA Society Brazil de Monografia em Finanças. Os candidatos devem enviar sua monografia junto com a ficha de inscrição e demais documentos de identificação e escolaridade para [email protected] *** Apresentar a cultura de vários países por meio de objetos é a proposta da “ExpoArte Artesanato Mundial”, que ficará no Caxias Shopping até 7 de julho *** A coach e terapeuta Ana Paula Freitas fará o curso “Classe Barras de Access”, com certificado internacional, no dia 28. Reservas: (21) 99546-3331.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Imposto maior sobre corporações poupa ricaços

Piketty calcula que tributação sobre grandes fortunas poderia render 10 vezes mais.

Governo quer reduzir indústria naval a desmonte de ferro-velho

Deputados cobram a utilização e a inovação do parque industrial instalado no Rio.

Juntar 2 meses e meio de auxílio para comprar cesta básica

Não só a pandemia, mas inflação é ameaça às pretensões de Bolsonaro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Emirados Árabes e Líbano compraram arroz do Brasil em março

Segundo associação do setor, os dois países estiveram entre os destinos internacionais do arroz brasileiro no mês passado.

Indústria tenta se recuperar no primeiro trimestre

Setor de bebidas se destacou no trimestre, com 53,8% de crescimento no período e 16,7% no acumulado de 12 meses.

China produzirá 3 bilhões de vacinas até fim do ano

Sinovac, que produz a Coronavac, promete entregar 2 milhões de doses.

Rio aumenta incentivo para cultura e esporte

Restituição do ICMS aumenta para 2% e 0,5% .

TCU relata abuso de poder no combate a Covid-19

Relatório do Tribunal de Contas da União (TCU), concluído em abril, mostra que o governo alterou documentos para se eximir da responsabilidade de liderar...
Monitor Mercantil