Milei prometeu e cumpriu: aumento de até 150% na tarifa de luz dos argentinos

431
Luzes acesas nas ruas
Luzes acesas nas ruas (Foto: Arquivo EBC)

Javier Milei prometeu que assim que tomasse posse iria aumentar a tarifa de energia e cumpriu. Nesta quinta-feira, o governo da Argentina anunciou alta de até 150% nas tarifas de energia elétrica para usuários da Área Metropolitana de Buenos Aires (Amba), com atualizações mensais a partir de abril.

Milei divulgou as novas tabelas tarifárias para a Amba, com o seguinte detalhe: a partir desta sexta-feira, (16/2), os usuários de baixa renda das distribuidoras Edenor e Edesur (classificadas como N2) pagarão pelo serviço com um aumento de cerca de 70%, enquanto aqueles com renda média (conhecidos como N3), Terão aumentos de cerca de 65%.

Entretanto, para este último grupo de consumidores, se ultrapassarem os 600 KW/H de consumo, o aumento será da ordem dos 130%, como detalhou o Ministério da Energia liderado por Eduardo Rodríguez Chirillo em comunicado de imprensa.

De acordo com informações oficiais, no caso dos consumidores de alta renda, “considerando um consumo médio de 380 KW/H por mês, no caso dos usuários N1, uma conta de 13.900 pesos (US$ 16,66) pagará 34.332 pesos (US$ 41,14), o que representa aumento de 150%”.

Espaço Publicitáriocnseg

Os novos valores estarão em vigor até que a revisão tarifária abrangente pendente para este período de cinco anos (2024-2028) seja concluída, enquanto a partir de abril será aplicado um mecanismo de ajuste mensal com base na inflação, que ficou em 20,6% em janeiro.

De acordo com o relatório do Instituto Nacional de Estatística e Censos (Indec) divulgado esta quarta-feira, a subida do Índice de Preços no Consumidor (IPC) no primeiro mês do ano foi puxada sobretudo pelos aumentos de “bens e serviços”, com 44,4%.

Com informações da RT Espanhol

Leia também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui