Milhares de japoneses continuam em abrigos temporários cinco anos após tsunami

Milhares de pessoas retiradas de suas casas devido ao tsunami que arrasou o Nordeste do Japão em março de 2011 continuam em abrigos temporários e muitas não regressarão, até 2021, aos locais onde viviam, informaram hoje as autoridades.
Cerca de 59 mil pessoas de Iwate, Miyagi e Fukushima continuam a viver em abrigos temporários, depois de terem sido retiradas devido ao desastre natural, o que representa aproximadamente metade do número máximo de deslocados que chegou a ser registrado, segundo os últimos dados disponíveis.
Os 46 municípios afetados trabalham na reabilitação das áreas devastadas e na construção de novas casas, mas em muitos casos enfrentam dificuldades que os impedem de completar essas tarefas em curto e médio prazos.
Em Otsuchi, uma localidade de Iwate, os 2.900 habitantes que continuam fora de suas casas – aproximadamente um quarto da população total – não poderão regressar até pelo menos março de 2021, declarou um porta-voz do município à agência Kyodo.  Isso pelo fato de as autoridades locais não conseguirem encontrar terrenos adequados para construir habitações em áreas mais altas, acima do nível do mar, acrescentou o porta-voz.
Autoridades de outras localidades informaram que não acreditam que conseguirão concluir até 2019 os trabalhos necessários para que todos os deslocados possam regressar, devido a dificuldades de financiamento e de mão de obra.
Dos 46 municípios consultados pela Kyodo, 17 não fizeram qualquer prognóstico sobre quando os moradores poderão regressar às suas casas. Entre eles estão 11 localidades de Fukushima, onde também há milhares de pessoas que foram retiradas das áreas onde viviam, devido ao desastre nuclear causado pelo tremor seguido de tsunami de 11 de março de 2011.
Na próxima sexta-feira (11) completam-se cinco anos do desastre, que deixou 18.500 mortos ou desaparecidos no Japão.

Agência Brasil, com informações da Lusa

Artigos Relacionados

China declara eliminação de pobreza extrema

Xi Jinping: retirada de 850 milhões de pessoas é uma ‘conquista sem precedentes’.

Venda cai, mas árabes são o segundo destino de alimentos do Brasil

No total, os embarques de alimentos e bebidas ao exterior tiveram aumento de 11,4% no ano, frente a 2019.

Países ricos se recuperam mais rapidamente, pobres ficam para trás

Lacuna aumenta; vacinação global geraria US$ 9 trilhões até 2025, inclusive para os países desenvolvidos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Presidente do Banco do Brasil joga a toalha

Centrão tem interesse no cargo.

Imóveis comerciais tiveram estabilidade em janeiro

Nos últimos 12 meses, entretanto, preços de venda e locação do segmento acumulam quedas de 1,32% e 1,18%, respectivamente.

Contas públicas têm superávit de R$ 58,4 bilhões em janeiro

Dívida bruta atinge 89,7% do PIB, o maior percentual da história.

Presidente do Inep é exonerado do cargo

Medida foi publicada no Diário Oficial de hoje; até o momento, não foi anunciado o nome de quem o substituirá.

Primeiro caso de Covid-19 no Brasil completa um ano

Brasil tem novo recorde de mortes diárias, diz Fiocruz; boletim informa que houve ontem 1.148 mortes.