Mineradoras encerraram 2020 com um faturamento 36% maior

Em fevereiro, um balanço divulgado pelo Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram) apontou que o faturamento do setor mineral no Brasil em 2020 foi 36% superior ao do ano anterior, chegando a um montante de R$ 209 bilhões.

Os ganhos dos últimos três meses do ano passado alcançaram os R$ 83 bilhões, apresentando um desempenho 63,6% maior do que o identificado no trimestre anterior. A grande produção mineral encontrada em estados como o Pará e Minas Gerais foi a principal responsável por essa elevação. A produção paraense expôs um aumento de 97% nos lucros do quarto trimestre e a mineira registou um crescimento de 55% nos rendimentos.

O minério de ferro e o ouro foram os minerais que sofreram as maiores variações. Em 2020, a produção de minério de ferro obteve um faturamento de R$ 138,7 bilhões, 39% superior ao de 2019. Enquanto o ouro atingiu os R$ 23,2 bilhões, uma alta de 76% em relação ao ano anterior.

Embora os ganhos do setor tenham sido altos, a produção mineral negociada no ano passado foi bem similar à de 2019, apresentando uma elevação de apenas 2%. Na verdade, o que favoreceu os resultados financeiros do ano passado foi a variação dos preços no mercado internacional devido a pandemia e a valorização de 24% que o dólar alcançou em 2020. Em dezembro, a tonelada de minério de ferro chegou a custar US$ 155,84.

A movimentação dos preços no mercado internacional foi fortemente impulsionada pelo momento de pandemia. Desde o começo da crise sanitária, a China, principal destino do minério de ferro brasileiro, tem investido intensamente em sua construção civil para estimular a economia de seu país. Tal medida contribuiu diretamente para o aumento do valor do minério de ferro. O interesse pelo ouro também cresceu bastante no exterior. Tudo isso resultou em ganhos acentuados para a mineração nacional.

 

Dáfane Guimarães Faria e Silva é sócia e diretora do Grupo MBL.

Leia também:

Como informar valores recebidos a título de rescisão trabalhista

Sem vacinação em massa, suspensão de contratos só adiará catástrofe

Artigos Relacionados

O Brasil e o caos, para além da Lava Jato

Por Paulo Rubem Santiago.

Soberania, integridade do patrimônio nacional: territorialidade

Por Felipe Quintas e Pedro Augusto Pinho.

O encontro do ‘sofágate’

Por Edoardo Pacelli.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Rádios FM poderão antecipar aumento de potência e área de cobertura

Antes, emissoras só podiam solicitar mudança a cada dois anos e de forma gradual.

Mudanças no câmbio abrem caminho para o Pix internacional

Propostas da Consulta pública são os primeiros passos para colocar em prática o sistema de transferências instantâneas com o exterior.

Taxa de empréstimo pessoal tem pequena alta em abril

Segundo o Procon-SP, a taxa média de empréstimo pessoal foi de 6,1% ao mês.

Mercados com poucas oscilações

PEC fura-teto preocupa.

Por preços de combustíveis, IPCA deve desacelerar

Por outro lado, os preços dos serviços devem continuar em patamares baixos, influenciados pelas medidas de restrição e pelas fracas condições do mercado de trabalho.