Ministério da Integração destina R$ 9,3 milhões para prevenção de desastres no Rio

Rio de Janeiro / 06:13 - 14 de nov de 2016

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, anunciou na sexta o repasse de R$ 9,3 milhões para fortalecer o trabalho de prevenção a desastres naturais no estado do Rio de Janeiro. Os recursos serão aplicados na recuperação de 180 estações de sirenes e 60 pluviômetros (que medem o nível de incidência da chuva) em 12 municípios, reestabelecendo serviços de alerta e alarme em pontos estratégicos de comunidades em áreas de maior vulnerabilidade. A assinatura do Termo de Compromisso aconteceu no Palácio Guanabara, com a presença do governador do Estado, Luiz Fernando Pezão (PMDB-RJ). A ação preventiva visa à preparação para o período de chuvas, quando o risco de desastres aumenta. - Os serviços de alertas sonoros são fundamentais para resguardar a vida das famílias que residem nessas áreas. O sistema funciona de forma que a população seja avisada com o máximo de antecedência numa eventual necessidade - afirmou o ministro Helder Barbalho. A medida atenderá regiões de Niterói, Angra dos Reis, Duque de Caxias, São Gonçalo, São João de Meriti, Queimados, Magé, Barra do Piraí, Areal, Barra Mansa, Mangaratiba e Cachoeiras de Macacu, por um período de 12 meses. - Este é apenas uma das medidas de apoio federal aos municípios em situação de vulnerabilidade. O objetivo é investir cada vez mais em ações preventivas e evitar perdas de vidas - destacou. O ministro enfatizou, ainda, que as equipes da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec), órgão do Ministério da Integração, estão sempre em alerta para agir não só no aspecto preventivo, mas em ações de socorro, assistência e recuperação. “Desejamos, claro, que não haja necessidade de intervenções nesse sentido. Porém, é importante que a população do Rio de Janeiro saiba que nós estamos sempre atentos e solidários para as demandas do estado”. Ao agradecer o apoio do Governo Federal para reestabelecer os sistemas de alerta, o governador Luiz Fernando Pezão também destacou a importância de agir de maneira preventiva. - Infelizmente não temos essa cultura no país, onde é comum pensar as ações de Defesa Civil somente após a ocorrência de desastres. Só quem testemunhou o que passamos em acidentes na região serrana e em Angra dos Reis sabe como é importante esse recurso - disse. Os sistemas emitem alerta de risco de escorregamento ou inundação à população que reside em áreas mapeadas como de alto risco, identificadas pela Secretaria de Estado de Defesa Civil. O alerta é emitido através de sons de sirenes, mensagens de voz e anúncios de voz em tempo real, acionados pelos coordenadores municipais do Centro Estadual de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden/RJ). Os equipamentos estão instalados nos pontos definidos pela Superintendência Operacional de Defesa Civil do Rio de Janeiro (Suop/RJ). Além do processo de restauração e manutenção dos equipamentos, um grupo de trabalho especializado também está sendo criado para auxiliar as ações da Defesa Civil durante este período. O grupo será composto por dois meteorologistas, dois programadores, um geógrafo, dois hidrólogos, seis técnicos de meteorologia e quatro de informática. O objetivo é tornar as previsões e sistemas de alertas ainda mais eficientes.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor