Ministro da Educação pode ser investigado por homofobia em entrevista

Milton Ribeiro insinua que jovens se tornam homossexuais em consequência de 'famílias desajustadas'.

Política / 13:30 - 25 de set de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Publicada ontem no jornal "O Estado de São Paulo", entrevista do ministro da Educação, Milton Ribeiro, à jornalista Jussara Rodrigues será usada por parlamentares para solicitar investigação por crime de homofobia. As informações são do Portal Imprensa.

Ribeiro insinua que jovens se tornam homossexuais em consequência de "famílias desajustadas": "O ministro também afirmou que 'não concorda' com quem 'opta por ser homossexual' e condenou o debate sobre questões de gênero nas escolas."

Segundo o portal, em seu Twitter, o senador Fabiano Contarato (Rede-ES) anunciou que irá acionar o Supremo Tribunal Federal (STF) para que investigue o ministro por crime de homofobia.

"Trata-se de um ministro da Educação homofóbico, que violenta criminosamente os princípios de respeito e a igualdade entre as pessoas consagrados na Constituição Federal. Meu repúdio, como homossexual e como cidadão, é absoluto a esse ataque preconceituoso, medieval e sórdido, que exige reação imediata de todas as instituições democráticas", disse o parlamentar, que se intitula "o primeiro senador assumidamente homossexual do país".

Já o ministro, que também é pastor presbiteriano, em seu Twitter, nada publicou sobre o assunto.

 

Com informações do Portal Imprensa

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor