Ministro ‘terrivelmente evangélico’ já tem opositores

O Supremo Tribunal Federal (STF) definiu nesta quinta-feira que a posse de André Mendonça será no dia 16 de dezembro, às 16 horas. A data foi definida após reunião entre o novo ministro e o presidente da Corte, Luiz Fux. Indicado ao cargo pelo presidente Jair Bolsonaro, Mendonça teve nome aprovado nesta quarta-feira (1) pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e pelo plenário da Casa.
A nomeação está provocando manifestações contrárias à linha de atuação do novo membro do STF, principalmente pela forma com ele foi definido pelo presidente Bolsonaro, ao afirmar que queria um ministro “terrivelmente evangélico”. Segundo a Revista Fórum, inúmeras entidades compostas por juízes, juristas, promotores do Ministério Público, advogados, defensores públicos e policiais divulgaram, nesta quinta-feira, uma nota conjunta em que lamentam a aprovação, por parte do Senado, à indicação de André Mendonça a uma cadeira no Supremo.
As entidades que divulgaram a nota contra sua nomeação são as mesmas que encampam, desde julho deste ano, a campanha “Por um STF laico e independente”, iniciativa adotada após Bolsonaro sugerir o nome de Mendonça ao STF, claramente motivado pelo simples fato do jurista ser evangélico, e não por suas qualidades técnicas para assumir este importante cargo.
A discordância também está vindo do lado evangélico. O pastor bolsonarista Silas Malafaia, um dos mais atuantes líderes evangélicos no lobby que ajudou a nomear Mendonça ao Supremo, confirmou que o agora ministro da Corte mentiu sobre ser favorável ao casamento entre pessoas do mesmo sexo. Ele abordou o tema durante sabatina na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), realizada nesta quarta (1), no Senado.

Leia também:

STF terá um ‘terrivelmente evangélico’

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Área de oncologia movimenta R$ 50 bilhões no Brasil

Cerca de 625 mil novos casos de câncer são diagnosticados por ano

Payroll teve leitura fortemente acima do esperado

Mercado de trabalho mostra aperto considerável, com indicações de restrições prolongadas no lado da oferta.

Últimas Notícias

BNDES: R$ 6,9 bi para construção da linha 6 do metrô de SP

Total previsto de R$ 17 bilhões financiados por um consórcio de 11 bancos

Área de oncologia movimenta R$ 50 bilhões no Brasil

Cerca de 625 mil novos casos de câncer são diagnosticados por ano

Títulos públicos prefixados: maiores rentabilidades de julho

Destaque ficou com os prefixados de vencimentos mais longos, representados pelo IRF-M1+

Economia prepara projeto para abrir fundos de pensão ao mercado

Em jogo, patrimônio de R$ 1 trilhão acumulado pelos fundos fechados de previdência.