Mirem-se no exemplo próximo

Chile viu se esgotar neste 2018 o chamado bônus demográfico e não deu o salto esperado

 

O superministro Paulo Guedes parece guardar um fetiche especial com o Chile, onde lecionou durante a ditadura militar. Um quadro mais atualizado do país, porém, faz acender um sinal amarelo. Segundo a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Chile viu se esgotar neste 2018 o chamado bônus demográfico. É como se chama o efeito em um país no qual a quantidade de pessoas em idade economicamente produtiva é maior do que a parcela de pessoas em idade não produtiva, como idosos e crianças. É o momento ideal para um país dar um salto no desenvolvimento humano e na qualidade de vida da população.

Não se pode dizer que o Chile aproveitou bem os anos de bônus. Chega ao final de 2018 com crise no sistema previdenciário. O valor pago para a maioria dos aposentados chilenos varia de 30% a 40% do salário mínimo. Isso significa pressão sobre os gastos públicos. E os valores arrecadados pelas empresas privadas de previdência (AFPs) não é suficiente para garantir os pagamentos. Boa parte foi desviada para o exterior.

Sobra aos vizinhos o cobre, desde sempre o principal motor da economia chilena.

 

Violência no México saltou 50% em 2 anos

O Gráfico da Semana do Fundo Monetário Internacional apresenta alguns dos custos humanos e econômicos do crime no México. O ano passado foi o ano mais violento do país, com mais de 25 mil homicídios – um salto de 50% desde 2015. Para as famílias e empresas conjuntamente, os custos diretos do crime, como medidas preventivas e indenizações, aumentaram para impressionantes 2,5% do PIB em 2017.

Cerca de 13% das microempresas afetadas pelo crime cancelaram a expansão dos negócios, enquanto quase um quinto reduziu os horários de trabalho. Os pequenos negócios são mais de 95% das empresas do México, que empregam apenas até dez pessoas.

As grandes empresas também são muito afetadas. A gigante estatal de petróleo e gás Pemex informou que o número de torneiras ilegais de seus oleodutos aumentou cerca de 50% em 2017 em comparação com o ano anterior e cerca de 15 vezes desde 2010. A Pemex estima que o roubo de petróleo está custando à empresa US$ 1,6 bilhão por ano, o que é igual a 0,14% do PIB.

Christian Saborowski, economista sênio do Departamento do Hemisfério ocidental do FMI, conclui que “a enorme magnitude dos custos econômicos se soma às muitas outras razões pelas quais o combate ao crime precisa ser uma prioridade política no México. Desenvolver políticas para reduzir o crime e implementá-las efetivamente não é uma tarefa simples. No entanto, aumentar a eficiência e a qualidade das instituições de aplicação da lei e judiciais provavelmente teria de ser uma parte crítica de qualquer pacote de políticas para fortalecer com êxito a segurança no México”.

 

Telinha

Cada ponto nas pesquisas de audiência de televisão realizadas pela Kantar IBOPE Media passará a representar 254.892 domicílios e 711.081 indivíduos em 2019. Quase três espectadores por casa. Parece exagerado.

 

Controle naval

Foi inaugurado nesta segunda-feira o Centro Integrado de Segurança Marítima (Cismar), na sede do Comando de Operações Navais, no Rio de Janeiro. O Cismar atuará de forma permanente e coordenada com órgãos como a Receita Federal, a Polícia Federal e a Anvisa.

 

Preço a pagar

O convite seguido de “desconvite” aos presidentes de Cuba e da Venezuela pode provocar desgaste internacional ainda maior do que já ocorre para o futuro Governo Bolsonaro. Chefes de Estado, em solidariedade, podem enviar representantes de baixo escalão, ou nem isto.

 

Rápidas

A Megamatte doou quase R$ 30 mil para o projeto culinária da Associação Saúde Criança para a capacitação de mulheres em vulnerabilidade social *** O Caxias Shopping terá, com o apoio da Firjan Sesi, colônia de férias gratuita, em 22 e 29 de dezembro e 5 e 12 de janeiro, para crianças entre 3 e 12 anos, das 16h às 18h *** Nesta sexta, às 19h30, será realizado o espetáculo Musical de Natal no Shopping Jardim Guadalupe. No sábado, no mesmo horário, o Canta Natal 2018 – Alegria encerra a programação musical de dezembro *** Encerrando programação de 2018 do Theatro Municipal de São Paulo, a sala recebe o Concerto de Natal, neste final de semana, com a Orquestra Sinfônica Municipal e o Coro Lírico Municipal, sob regência, arranjos e adaptações do maestro Mário Zaccaro. Os concertos serão realizados às 20h, no sábado (22) e às 16h30, no domingo (23).

Artigo anteriorSilêncio eloquente
Próximo artigoCaneta afiada
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Sonho da casa própria fica mais distante

Contratação de moradias com recursos do FGTS cai ano após ano.

Moeda chinesa na mira dos bancos centrais

Participação como reserva internacional ainda é baixa… por enquanto.

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

S&P aumenta nota de crédito da Petrobras

A agência de classificação de risco S&P Global Ratings (S&P) elevou a nota de crédito da Petrobras. A nota de crédito stand-alone (risco intrínseco)...

Movida supera as expectativas e ações sobem 8%

A Movida, empresa de locação de veículos, gestão e terceirização de frotas e vendedora de semininovos, reportou lucro líquido ajustado de R$ 174 milhões...

BNDES financia Norflor no combate ao efeito estufa

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) concederá financiamento será concedido à Norflor Empreendimento Agrícolas no valor de até R$ 27,4 milhões,...

Uma criptomoeda 100% brasileira

Uma parceria entre as startups Stonoex e AMZ viabilizou o lançamento da criptomoeda brasileira ZCO2. É uma criptomoeda que prevê a proteção da Amazônia...

Aumenta investimento estrangeiro em Xangai

O investimento estrangeiro integralizado em Xangai registrou um aumento anual de 21,1% no primeiro semestre de 2021, anunciaram autoridades locais. A utilização real do...