Moeda chinesa na mira dos bancos centrais

Participação como reserva internacional ainda é baixa… por enquanto.

O renminbi (iuan) participa com apenas 2,5% na composição dos ativos de reserva internacional. Mas há grandes perspectivas de crescimento. O 8º relatório anual sobre Investidores Públicos Globais do think tank inglês Fórum de Instituições Monetárias e Financeiras Oficiais traz uma pesquisa sobre os planos de alocação de ativos por gestores de reservas de bancos centrais, fundos soberanos e fundos de pensão públicos. Em conjunto, os mais de 100 investidores consultados administram US$ 42,7 trilhões, detalha o economista Otaviano Canuto, ex-diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Cerca de 30% dos bancos centrais planejam aumentar suas alocações em renminbi nos próximos 12 a 24 meses, em comparação com apenas 10% no relatório do ano passado, enquanto 70% disseram pretender elevar no longo prazo.

Os BCs em todas as regiões serão compradores líquidos de títulos chineses no médio prazo, especialmente na África, onde quase metade planeja aumentar suas reservas em renminbi. Os ativos asiáticos em geral estão em alta demanda, com 40% dos investidores públicos globais esperando aumentar sua exposição na região.

Cerca de 18% dos entrevistados disseram pretender reduzir suas participações em euros nos próximos 12 a 24 meses, enquanto 20% disseram isso em relação ao dólar. Há 20 anos, a moeda norte-americana representava 71% dos ativos de reserva, participação que caiu para 59%. A presença do euro aumentou de 18% para 21% no mesmo período.

 

Desplugado

“A comunicação digital permanente destrona o escutar, refletir, analisar, interpretar e formular perguntas. Enfraquece a palavra, o diálogo. Robustece, como há muito, afirmava Napoleão, a repetição para conquistar o povo. Tê-lo como expectador de candidato a fascista”, instiga o consultor Luiz Affonso Romano.

“Os consultores devem desligar o celular quando atendem o cliente, estiverem lendo, palestrando, ministrando cursos, com a família, se exercitando. Afinal, é um profissional de aconselhamento e não médico com paciente em UTI ou advogado de corruptos. Devem ler e discutirem o que leem.”

 

É a mãe

A ida de Ciro Nogueira para a Casa Civil de Bolsonaro chama atenção para a necessidade urgente de acabar com a figura do suplente de senador, que deveria ser substituído pelo segundo colocado na eleição. No caso de Ciro, tomará posse a mãe do líder do Centrão.

 

Rápidas

Nessa sexta-feira, o programa de Pós-Graduação em Direito da UFMG recebe Robert Stack, ex-subsecretário do Tesouro de Obama, para falar sobre “O Projeto BEPS: as 15 ações originais e questões atuais”. A coordenação é de André Moreira e Fernando Moura, sócios do escritório Sacha Calmon Misabel Derzi. A palestra será transmitida pelo YouTube, às 930h *** “A Associação dos Embaixadores de Turismo do RJ realiza a Expo Virtual Fotos Rio de Janeiro no inverno pandêmico 2021, de Bayard Boiteux, vice-presidente executivo da Associação. A mostra conta com apoio de Sérgio Castro Imóveis, Shopping Ouvidor e Escola Técnica de Turismo Cieth. A curadoria é de Viviane Fernandes.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Terceira via tira a máscara

Diferença para atual governo está nos métodos, não nos fins.

Baía de Guanabara como sujeito de direitos

Em SC, Judiciário debate gestão e governança da Lagoa da Conceição.

Melhor bolinho de bacalhau

O mais novo ‘Patrimônio Cultural’, que foi frequentado por Pixinguinha.

Últimas Notícias

Cautela pré-Fomc pesa sobre Bolsas no globo

Em dia de vencimento de opções, NY fechou em baixa, com o retorno das incertezas sobre o ritmo de retomada econômica.

A desigualdade entre os ‘iguais’

Por Rafael Luciano de Mello.

SP: alimentação puxa alta no preço da cesta básica

Segunda prévia do IGP-M variou negativamente em relação à segunda prévia do período anterior, mas avança ante a última divulgação.

Jovem baixa-renda é mais requisitado para voltar a trabalho presencial

Quanto menor a renda familiar, maior o percentual; brasileiros de 18 a 25 anos somam 42% das contratações temporárias no primeiro semestre.