Movimento em lojas físicas caiu 3% em 2019

Únicas datas comerciais com aumentos anuais no movimento de pessoas foram Black Friday (+8,6%) e Natal (+0,3%).

Conjuntura / 12:57 - 13 de jan de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Em 2019, o fluxo de consumidores nas lojas físicas brasileiras recuou 3% em relação a 2018, segundo estudo da empresa de coleta e análise de dados do varejo físico nacional Seed Digital. O mês de abril foi o que apresentou maior queda (-9,6%). E as únicas datas comerciais com aumentos anuais no movimento de pessoas foram Black Friday (+8,6%) e Natal (+0,3%).

"O resultado reflete a lentidão da retomada da economia brasileira no ano e as recentes mudanças de comportamento do consumidor, que usa cada vez mais as plataformas digitais para comprar. Por isso, as empresas precisam procurar entender o cliente final e impactá-lo da melhor maneira, com intuito de aprimorar a experiência do consumidor. O varejista que conseguir integrar de maneira eficiente as lojas físicas com o e-commerce tem tudo para aproveitar a onda de otimismo do mercado em 2020", diz Sidnei Raulino, CEO da Seed Digital.

Ele acrescenta que as quedas mensais no fluxo foram atenuadas no último trimestre de 2019, após a aprovação de reformas, a redução da taxa de juros e o acesso ao FGTS no decorrer do ano.

As lojas físicas das regiões Norte (+1,99%) e Centro-Oeste (+1,22%) registraram avanços no movimento, na contramão das regiões Sul (-3,15%), Nordeste (-3,32%) e Sudeste (-3,85%).

No ano de 2019, houve a implementação de uma nova data no calendário varejista, a Semana do Brasil, por iniciativa do governo federal e de entidades do varejo nacional. Com sua primeira edição tendo resultados positivos, é uma data com grande potencial de virar permanente no calendário anual. A Semana do Brasil 2019 performou 3,2% acima da média semanal do ano. Como foi a primeira edição da Semana do Brasil, ainda não há comparação com ano anterior.

A Black Friday é o segundo evento que mais movimenta o varejo no ano, atrás apenas do Natal. Os resultados apontaram maior capilaridade no país, com as regiões Norte, Nordeste e Sul com melhores desempenhos.

De 17 a 24 de dezembro, as regiões Centro-Oeste, Nordeste e Norte registraram os maiores índices, com 7,7%, 6% e 10,3%, respectivamente, enquanto Sul e Sudeste tiveram queda de 0,4% e 2,9% no fluxo de pessoas. Diferente do que se esperava, mesmo com uma Black Friday apresentando resultados excelentes em relação ao ano anterior, o Natal continuou forte no período.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor