TSE revoga prisão de Garotinho

Rio de Janeiro / 08:53 - 24 de nov de 2016

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu hoje conceder habeas corpus ao ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho (PR), que está em prisão domiciliar. O político foi preso por decisão da Justiça Eleitoral de Campos dos Goytacazes, no norte fluminense. Ele é suspeito de usar um programa assistencial do município para a compra de votos. De acordo com o TSE, Garotinho poderá ser solto, mas está proibido de manter contatos com testemunhas do caso e de entrar no município de Campos até o final da instrução processual. O ex-governador foi preso pela Polícia Federal em 16 de novembro, mas no mesmo dia ele se sentiu mal e teve que ser internado no Hospital Municipal Souza Aguiar, no centro do Rio. No dia seguinte, ele foi transferido para o hospital penal do Complexo Penitenciário de Bangu, na Zona Oeste da cidade. No último dia 19, a ministra Luciana Lóssio, do TSE, autorizou a transferência de Garotinho para um hospital particular e concedeu a prisão domiciliar ao ex-governador. Garotinho passou por um cateterismo no Hospital Quinta d'Or no dia 20 e, no dia 22, recebeu alta. MP defendia volta para presídio - Mais cedo, o vice-procurador-geral eleitoral do Rio de Janeiro, Nicolao Dino, havia pedido ao TSE a revogação da prisão domiciliar do ex-governadoe e seu retorno para o sistema penitenciário. Garotinho. Segundo o Ministério Público Eleitoral, no entanto, o TSE não poderia analisar um habeas corpus de Garotinho, uma vez que há outro no Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) que ainda não foi apreciado. Com informações da Agência Brasil

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor