MP faz busca na Prefeitura e na casa de Crivella

Segundo investigação, empresas com interesse em fechar contratos ou dinheiro para receber do município participavam de esquema na Riotur.

Rio de Janeiro / 11:04 - 10 de set de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) e a Polícia Civil do RJ fizeram buscas nesta manhã no Palácio da Cidade - residencial oficial da Prefeitura, em Botafogo, na Zona Sul do Rio -; no Centro Administrativo São Sebastião, sede do Executivo Municipal, na Cidade Nova; e na casa do prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) - na Península, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste -, que teve o celular apreendido.

As informações são do portal G1, segundo o qual, a ação é "desdobramento da Operação Hades, de março deste ano, que investiga um 'QG da Propina' na Prefeitura do Rio."

Ainda de acordo com o G1, "segundo as investigações, empresas que tinham interesse em fechar contratos ou tinham dinheiro para receber do município entregariam cheques a Rafael Alves, irmão de Marcelo Alves, então presidente da Riotur. Em troca, Rafael facilitaria a assinatura dos contratos e o pagamento das dívidas."

Em 10 de março, a Polícia Civil e o MP fluminense já haviam cumprido 17 mandados de busca e apreensão. Um inquérito foi aberto no início de dezembro pelo MP, com base na delação do doleiro Sérgio Mizrahy. Ele foi preso na Operação Câmbio Desligo, desdobramento da Lava Jato no Rio. No depoimento, Mizrahy chama um escritório da prefeitura de "QG da Propina". O doleiro não soube dizer se o prefeito Marcelo Crivella sabia da existência da estrutura. Marcelo Alves foi exonerado da Riotur dias depois da operação, em 25 de março.

Segundo o jornal "O Dia", hoje "são 22 mandados de busca e apreensão que estão sendo cumpridos em endereços ligados ao prefeito, servidores, empresários e à administração municipal, dentre eles Eduardo Lopes: secretário Estadual de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento no governo Witzel; ex-ministro da Pesca na gestão de Dilma Roussef; e suplente de Crivella no Senado; Mauro Macedo: ex-tesoureiro de antigas campanhas de Crivella para o Senado (2004) e para a Prefeitura (2014) e Rafael Alves: empresário, irmão do ex-presidente da Riotur, Marcelo Alves."

 

Com informações do G1 e do jornal "O Dia"

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor