MP investiga perdão de Alckmin a dívida da Alstom

São Paulo / 20:28 - 28 de jul de 2016

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

[caption id="attachment_548006" align="alignright" width="300"]Milani: contrato está ‘sub judice’ Milani: contrato está ‘sub judice’[/caption] O Ministério Público de São Paulo vai investigar porque o Governo de São Paulo perdoou uma dívida estimada em R$ 116 milhões em um contrato firmado entre a Alstom e o Metrô de São Paulo para fornecimento de um sistema de controle de trens, chamado CTBC (Controle de Trens Baseado em Comunicação). Além do perdão da multa, o governo paulista também aceitou que o CTBC seja entregue pela Alstom até 2021, com um atraso de dez anos. Isto apesar das investigações do chamado ‘trenzalão’ tucano estejam em curso. O promotor Marcelo Milani, da Promotoria de Patrimônio Público e Social, disse que havia proposto um inquérito em 2014 para investigar esse contrato. “Esse acordo feito pelo Governo do Estado na Secretaria de Transportes Metropolitanos foi feito sem conhecimento do Ministério Público e do Judiciário. Existe uma ação judicial proposta no final de 2014, uma ação de improbidade adminis-trativa, questionando várias coisas referentes a contratos do Metrô e, entre eles, está incluído o CBTC, que é o sistema operacional dos trens e que foi feito para as linhas 1,2 e 3 (do Metrô)”, disse o promotor. Para Milani, como a questão envolvendo este contrato ainda está sub judice (que será analisado pelo juiz responsável pelo caso), tanto o Ministério Público quanto a Justiça deveriam ter sido con-sultados antes da assinatura do perdão da dívida.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor