MPF denuncia de 26 pessoas no caso Samarco

Conjuntura, Empresas / 14:45 - 20 de out de 2016

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou à Justiça nesta quinta-feira 26 pessoas físicas e jurídicas, sendo 21 por homicídio qualificado com dolo eventual, em virtude do rompimento da barragem de rejeitos da mineradora Samarco, em novembro do ano passado. Considerado o maior desastre ambiental da história do Brasil, o rompimento da barragem deixou 19 mortos, centenas de desabrigados e poluiu o rio Doce, que percorre diversas cidades até atingir o litoral capixaba. A mineradora Vale afirmou nesta quinta-feira em comunicado que repudia a denúncia de executivos e empresas pelo Ministério Público Federal (MPF) à Justiça no caso do rompimento da barragem da Samarco, joint venture em parceria com a BHP Billiton. A denúncia acontece em um momento em que a Samarco tenta voltar a operar. Nesta semana, um diretor da Vale disse acreditar no retorno das operações da Samarco até meados de 2017. BHP O presidente do conselho da BHP Billiton, Jac Nasser, anunciou nesta quinta-feira que não vai tentar a reeleição na assembleia geral da empresa no próximo ano. Ele disse que, após 10 anos no cargo e depois de supervisionar a resposta inicial da empresa ao rompimento de uma barragem da Samarco, em Minas Gerais, chegou a hora de se aposentar. Nasser afirmou que pretendia renunciar no ano passado, mas concordou em ficar na maior mineradora do mundo para garantir estabilidade em um momento em que a BHP respondia questionamentos pelo desastre no Brasil. Agora que a "estrutura básica" da resposta da Samarco está pronta, ele não buscará a reeleição, mas seguirá liderando o conselho interinamente, disse o executivo durante fala na assembleia geral deste ano. O presidente executivo da BHP, Andrew Mackenzie, disse que a companhia está trabalhando a todo vapor para corrigir os danos causados e indenizar os afetados.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor