Mudando as regras

A Associação de Engenheiros da Petrobras (Aepet) afirma que a direção do fundo de pensão da Petrobras (Petros) prepara o repasse de um rombo estimado em cerca de R$ 400 milhões para os associados da fundação. Segundo a Aepet, este rombo resultaria do projeto de lei 1.527-C de 1999, que muda as regras da Previdência, com a criação do fator previdenciário e a ampliação do período de cálculo dos benefícios. Essa mudança implica na redução de 15% sobre o teto coberto pelo INSS e o complemento do restante do benefício, para completar 90% do salário de participação antes da aposentadoria.
De acordo com as novas regras, a Petros teria de arcar com a diferença para manter  o cumprimento do contrato com seus associados. Segundo memorando emitido pela Gerência de Produtos da fundação, essa mudança da legislação ocasionaria “impacto estimado no Plano Petrus de cerca de R4 400 milhões”. A Aepet reclama que a conta sobrará apenas para os associados.

Última chance
A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) estará realizando neste domingo (segundo dia do ano 2000) a simulação de um pregão diário normal. Diversos bancos também aproveitam o domingo para um último teste simulando operações que se repetem. No dia seguinte o jogo é para valer.

Ceia
Centenas de profissionais de informática vão amargar a virada do ano de plantão, por causa do Bug do Milênio. Para minorar a frustração, a Compuware do Brasil - empresa que tem entre seus clientes Bradesco, Banespa, Souza Cruz e  Fiat – oferecerá uma ceia completa para a equipe de profissionais em plantão e seus familiares. O esquema de emergência da empresa prevê até aluguel de helicóptero para deslocamentos fora de São Paulo.

Ao pé da cova
A articulação para a escolha dos quatro oradores oficiais do ato de apoio ao brigadeiro Walter Bräuer teve como palco lugar aparentemente insólito, embora explicável pelas circunstâncias. Foi durante o enterro do ex-ditador João Figueiredo, domingo, que foram escolhidos o presidente e o presidente do conselho deliberativo do Clube da Aeronáutica, respectivamente, brigadeiro do ar Ercio Braga e tenente-brigadeiro do ar Murilo Santos; o presidente do Clube Militar, general Hélio Ibiapina; e o ex-comandante do Emfa general Jonas Morais Corrêa Neto.

Semântica
Não se deve confundir “inflação em baixa” com “inflação baixa”. Taxa próxima de 2% para quem está com salários congelados há cinco anos ou não consegue repassar custos para preços é uma grande pancada.

Imagem
Nestes dias meio parados entre o Natal e a chegada do ano 2000, quem anda em atividade frenética são os marqueteiros do Governo federal. Em seu programa de rádio de terça-feira, FH recebeu o reforço do atleta do século Pelé e da atriz Tônia Carrero. Foram apoiar mais um blá-blá-blá do Governo, desta vez para a sociedade ajudar nas soluções dos problemas sociais – como se isso já não ocorresse, com o estímulo extra da omissão federal.

Pé frio
Cariocas mais prevenidos estão pensando em levar guarda-chuva para a festa de virada de ano. Com a presença do azarado FH na cidade, a possibilidade de chover é grande. Nos dois últimos fins de semana em que FH brindou o Rio com sua presença, o sol cedeu lugar a um céu nublado e chuvas.

É pau ou pedra?
Primeiro o presidente FH afirma que, após o término do mandato, quer dedicar-se à vida acadêmica. Na semana seguinte manifesta a pretensão de que seja criada a figura do senador vitalício, função a ser desempenhada por ex-presidentes – a exemplo do que ocorre no Chile de Pinochet. A julgar pelo modo como governa, em qualquer dos casos sua contribuição tende a ser nula.

Fogo cerrado
A intensidade e a repercussão do ato de solidariedade ao brigadeiro Walter Bräuer, terça-feira, animou as casernas a continuar abrindo fogo sobre o Governo FH. A comissão de interclubes militares já prepara nova manifestação, possivelmente no início de janeiro, desta vez no Clube Militar. Segundo uma fonte ligada a comissão, o ato no Clube da Aeronáutica foi “o primeiro de uma série”.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorO culpado
Próximo artigoOrlof?

Artigos Relacionados

Engie valerá R$ 2,5 bi a mais após acordo com Aneel

Semana passada, o Monitor noticiou que a proposta da Aneel de repactuação do risco hidrológico (GSF) deixaria a conta a ser paga pelo pequeno...

Apelo de Biden ao multilateralismo fica sem crédito

Na ONU, presidente dos EUA desmente mundo dividido em blocos rígidos.

Fintechs e bancos disputam quem cobra mais

‘Não temos vergonha de sermos bancos’, diz Febraban; mas deveriam.

Últimas Notícias

Indústria da hipertensão e diagnóstico por imagem movimentará R$ 22 bi

Foram realizados cerca de 55,6 milhões de procedimentos ambulatoriais e hospitalares.

Receita apreende mercadorias piratas avaliadas em R$ 1 milhão

Foram apreendidos na operação 170 volumes de mercadorias englobando videogames e acessórios, roteadores, entre outros.

Prorrogada a CPI dos royalties do Rio por 30 dias

Prorrogação do prazo se deve à complexidade da matéria e aos vários documentos requisitados que ainda estão sendo recebidos pela comissão.

Governo dos EUA se prepara para paralisação na semana que vem

Em outra frente de luta, líder democrata Nancy Pelosi anuncia acordo sobre pacote de Biden.

Alimentos são direito, não mercadoria, diz ONU

Três bilhões de pessoas não podem pagar uma dieta saudável.