Mulheres respondem por apenas 6,3% dos acidentes de trânsito em SP

Levantamento aponta ainda que das 91,5 mil CNHs suspensas só 26% pertencem às mulheres.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Dados do Infosiga SP apontam que somente 6,3% dos casos de acidentes registrados entre janeiro e agosto de 2020, envolvem mulheres na direção, um percentual 16 vezes menor do que o número de acidentes com homens ao volante. As condutoras do sexo feminino representam 40% dos motoristas de todo o estado, um total de cerca de 26 milhões de condutores.

A prudência no trânsito é demonstrada também por meio do perfil dos condutores com habilitações suspensas. Das 91,5 mil CNHs suspensas entre janeiro, fevereiro e março de 2020 no Estado de São Paulo, apenas 26% pertencem às mulheres. Já em relação ao número de acidentes com vítimas fatais nos oito meses deste ano, a tendência se confirma: o sexo feminino responde por apenas 15,5% do total, frente a 84,5% de homens.

Outro dado importante é que na maioria dos casos fatais registrados, as mulheres não estavam na direção do veículo: 39,4% eram passageiras e 31,9% pedestres.

Para o presidente do Detran, Ernesto Mascellani Neto, “as mulheres são muito mais cautelosas no trânsito, o que é uma importante notícia, já que elas representam 40% dos motoristas de todo o Estado. Mas reduzir o número de acidentes, que em sua maioria são motivados por falha humana, é vital para o Detran.SP. Por isso seguimos investindo em ações e campanhas educativas para todos os motoristas, independentemente do gênero”.

O Programa da Secretaria de Governo do Estado de São Paulo e coordenado pelo Detran.SP, o Respeito à Vida atua como articulador de ações com foco na redução de acidentes de trânsito. Atualmente, 304 cidades são parceiras do programa e R$ 190 milhões em recursos provenientes de multas do Detran.SP beneficiam 96% da população.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor