Mão única

Mais do que discursos, os números dados ajudam a materializar as relações assimétricas que marcam a globalização. Um das principais organizações do país, com cerca de cem empresas – incluindo hotelaria, agropecuária, mineração, telecomunicações, construção civil, imobiliário e financeiro – a Globo faturou cerca de US$ 6 bilhões ano passado. Esta cifra, porém, equivale a apenas 40% do faturamento da Viacom, quinta colocada no ranking das empresas de telecomunicações dos Estados Unidos.
Mão única II
Com mercados saturados em seus países de origem, os gigantes norte-americanos têm tocado o bumbo da desregulamentação para compensar o fraco crescimento de receita nos EUA. Entre 1992 e 1997, por exemplo, a Disney cresceu 27,5% em outros países e apenas 14,5% nos EUA. O mesmo ocorreu com a Time Warner, cuja receita teve incremento de 31,4% no exterior e de somente 12,6% em seu país de origem.

Dependência
Com a previsão de fechar o ano com déficit de cerca de US$ 25 bilhões nas contas externas, o Brasil exibe hoje a desconfortável condição de detentor do segundo maior déficit externo do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, que encerraram o primeiro semestre com rombo de US$ 177,6 bilhões em suas transações com o exterior. A colossal diferença, no entanto, conta pouco devido a pequeno, mas fundamental detalhe: diferentemente dos EUA, o Brasil não produz dólar.
Diante da forte dependência estrutural do país de capital externo, a ligeira melhora na situação das contas externas nos 12 meses encerrados em julho, quando o déficit recuou para 3,88% do PIB, contra 3,96% do PIB, não deixa tranqüilo nem os mercados nem muito menos os brasileiros de carne e osso.

Grampo
Mais do que as normas de ética baixadas por FH, o que assustou os amigos da corrupção em Brasília foi uma mensagem emitida ontem, por volta de 16h30, pela central da Americel, operadora de telefonia celular da Banda B no Centro-Oeste. “Oi turma, eu descobri como se faz um grampo tecnológico”, dizia um dos funcionários na gravação feita na caixa postal de 10 mil assinantes de celulares. A operadora divulgou nota oficial sobre o ocorrido e afastou os dois técnicos envolvidos. De acordo com a empresa, tratava-se de um teste entre plataformas realizado pelo setor técnico, que por engano foi parar nas caixas postais dos clientes.

Fumaça de casa
O presidente da Souza Cruz, Flávio de Andrade, dá modesta contribuição pessoal para o aumento das vendas da empresa, que atingem 5,4 milhões de maços de cigarro por dia ou cerca de 2 bilhões de maços por ano. Ele revelou ontem a jornalistas que consome apenas um maço de cigarro por dia ou 365 maços/ano. Trabalhando onde trabalha, Andrade deve saber o que faz.

Campanha
Octavio Gomes, candidato à Presidência da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seção Rio, pela Chapa Azul, inaugura hoje seu comitê eleitoral. Será às 19h, na Av. Franklin Roosevelt, 39/1506. O telefone do comitê é 220-6528.

Carona
Acuado pelas denúncias de corrupção que pipocam contra o governo, o tucanato está querendo fazer do limão a limonada. Ou seja, em vez de apurar fundo as denúncias, usar sua repercussão junto à opinião pública para fazer política fiscal. O corte automático de verbas para obras nas quais sejam detectadas irregularidades e para os fundos constitucionais, como o Finor, tem como objetivo transferir recursos do Orçamento para o serviço da dívida.

Guerra quente
Fonte da Marinha da Rússia confirma a versão de que o submarino Kursk colidiu com outra nave. O cruzador russo da classe slava Pedro, O Grande teria recolhido no sábado, 12 – dia do acidente – duas bóias de sinalização de submarinos nas cores verde e branca (cores britânicas; as russas são vermelhas e brancas). Segundo essa fonte, também teriam sido recolhidos destroços do que seriam os restos de uma asa estabilizadora de proa de um outro submarino – possivelmente britânico – e que essa nave, algumas horas depois, teria se retirado do local. Teria havido colisão tangencial entre este segundo submarino, que estaria espionando as manobras navais russas, e o Kursk. A Marinha britânica nega que tivesse submarinos na região.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFumaça perigosa
Próximo artigoNova chance

Artigos Relacionados

Indústria naval apresenta propostas para eleições 2022

Setor quer deixar para trás maré ruim dos últimos 7 anos

Brics+ será gigante em alimentos e energia

Bloco ampliado desafia EUA rumo a nova ordem mundial.

Para combater Putin, adeus livre mercado

Teto para preço do petróleo é nova sanção desesperada do G7.

Últimas Notícias

Ford Brasil: Centro global de exportação de serviços de engenharia

Projetos de ponta voltados ao futuro da mobilidade, como veículos elétricos, autônomos e conectados. 

Senado vai analisar vetos na Lei Aldir Blanc

Existe uma fila de 36 vetos aguardando votação dos senadores e deputados

Caixa: desconto de até 44% para regularizar penhor em atraso

As unidades com serviço de penhor disponível podem ser consultadas no site da Caixa

Índice de Preços ao Produtor (IPP) sobe 1,83% em maio

Das 24 atividades analisadas, 21 tiveram alta de preços

Acqio inclui transações via Pix em suas soluções de pagamento

Em abril os pagamentos feitos via Pix atingiram a marca histórica de 11,5%, no comércio eletrônico