Musk processa OpenAI por deixar de ser sem fins lucrativos

Musk doou milhões de dólares para OpenAI com o compromisso de desenvolver IA que beneficiasse a humanidade

23
Elon Musk (Foto: Daniel Oberhaus/CC)
Elon Musk (Foto: Daniel Oberhaus/CC)

Elon Musk está processando a OpenAI e seus cofundadores Sam Altman e Greg Brockman, alegando que a empresa quebrou seu acordo inicial ao buscar lucros em vez da missão fundadora da organização sem fins lucrativos de desenvolver IA que beneficiasse a humanidade.

Na ação movida em um tribunal de São Francisco (EUA), Musk, cofundador e um dos primeiros apoiadores da OpenAI, alegou que Altman e Brockman o convenceram a ajudar a fundar e financiar a startup em 2015 com promessas de que seria uma organização sem fins lucrativos. O acordo de fundação exigia que a OpenAI tornasse sua tecnologia “disponível gratuitamente” ao público, afirma Musk no processo.

A ação também alega um estreito alinhamento entre a Microsoft e a OpenAI, dizendo que esta foi transferida para um modelo com fins lucrativos focado na comercialização de sua pesquisa AGI após parceria com a Microsoft, que investiu cerca de US$ 13 bilhões na startup.

“Na realidade, porém, a OpenAI, Inc. foi transformada em uma subsidiária de fato de código fechado da maior empresa de tecnologia do mundo: a Microsoft. Sob seu novo conselho, ela não está apenas desenvolvendo, mas na verdade refinando uma AGI para maximizar lucros para a Microsoft, e não para o benefício da humanidade”, observou o processo, acrescentando que “esta foi uma traição total ao Acordo de Fundação”.

Espaço Publicitáriocnseg

Musk também alega que a OpenAI e a Microsoft licenciaram indevidamente o GPT-4, apesar de concordarem que as capacidades AGI da OpenAI permaneceriam dedicadas à humanidade.

Através do processo, Musk está tentando forçar a OpenAI a manter sua missão original e impedi-la de monetizar tecnologias desenvolvidas sob sua organização sem fins lucrativos. Musk pede a prestação de contas e a devolução das doações destinadas a financiar a pesquisa, caso estejam agora servindo para ganhos privados.

Musk deixou o conselho da OpenAI em 2018. De acordo com a reclamação legal, ele doou mais de US$ 44 milhões para a organização sem fins lucrativos entre 2016 e setembro de 2020. Nos primeiros anos, ele foi o maior contribuidor da startup. No final de 2022, o lançamento do ChatGPT pela OpenAI desencadeou uma corrida no campo da inteligência artificial.

“Gosto do cara. Acho que ele está totalmente errado sobre essas coisas”, disse Altman, em uma conferência no ano passado, ao abordar as dúvidas recorrentes de Musk. “Ele pode dizer o que quiser, mas estou orgulhoso do que estamos fazendo e acho que vamos dar uma contribuição positiva ao mundo e tento ficar acima de tudo isso.”

Agência Xinhua

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui