Móvel

Qual é o país com maior número de usuários de telefone celular? Errou quem apostou nos Estados Unidos. A China superou os EUA, com 120,6 milhões de usuários no final de julho, contra 120,1 milhões de norte-americanos, segundo a agência oficial Nova China, que cita o Ministério da Indústria. A expectativa é que a China alcance os 260 milhões de usuários de telefones celulares em 2005.  Entre as razões dessa rápida expansão está a longa burocracia necessária para conseguir uma linha de telefone fixo – não muito diferente do que ocorreu no Brasil em 1999/2000. Com população superior a 1 bilhão, a atmosfera da Terra agradece por a China não ser a número um em automóveis.

Passeata
Trabalhadores da Supervia e Flumitrens fazem passeata hoje, às 10h, partindo da sede do sindicato, na Rua Senador Pompeu (Central), até a Assembléia Legislativa, na Rua Primeiro de Março. Os ferroviários querem que os deputados interfiram na discussão sobre o futuro da ferrovia no Rio de Janeiro. A preocupação dos trabalhadores é com a possível devolução da Supervia, privatizada no Governo Marcello Alencar, ao Estado. Outro item é a redução do número de passageiros, hoje em torno de 300 mil por dia, quantidade que já alcançou 1,4 milhão.

Perdulários
Apóstolos da austeridade para os países periféricos, o FMI e o Banco Mundial (Bird) deixam de lado o dever de casa quando se trata de gastos que envolvem os dois organismos. Diante da crescente impopularidade dos “principais arquitetos da globalização neoliberal”, como são chamados pelos ativistas antiglobalização, Terrance W. Gainer, vice-chefe da polícia de Washington – cidade que sediará o próximo encontro de cúpula conjunto, em 29 e 30 de setembro – encaminhou à Casa Branca pedido de crédito de US$ 38 milhões para arregimentar milhares de policiais em outras cidades e para erguer, na parte da cidade em que se realizará a reunião, um muro idêntico ao erguido, em Gênova, para separar os líderes do G-8 do calor das ruas.
Amplitude
O caos trazido por dez anos de neoliberalismo conseguiu jogar na trincheira da oposição a essa modelo até a principal central sindical dos Estados Unidos: a AFL-CIO. Uma equivalente bem mais poderosa que a Força Sindical tupiniquim e conhecida por seu ultraconservadorismo, a AFL-CIO, que já participou ativamente das manifestações contra a Organização Mundial do Comércio (OMC), em Seattle, está convocando a Semana de Ação por Justiça Global, que será realizada entre dias 26 de setembro e 1º de outubro. Usando a tecnologia, os manifestantes lançaram dois sites -www.aflcio.org/globaleconomy/global_justice.htm e www.globalizethis.org/s30 – para debater as próximas ações contra o encontro de FMI e Bird.

Gutemberguiano
A indústria de informática está sendo uma das principais vítimas das conseqüências do racionamento de energia. Depois de um primeiro quadrimestre favorável, as vendas de PCs, monitores, servidores e impressoras, em maio, caíram pelo menos 30% em relação a abril, mês em que já ocorrera retração no consumo. Com a queda das vendas, o varejo, que trabalhava com estoques de 30 dias, reduziu esse prazo para 15 dias. Os dados constam de levantamento da IDC Brasil. Pelo visto, além da volta à Era das Trevas, o interminável reinado tucano também nos legará a volta da velhas máquinas de escrever.

Não larga o osso
Curto e grosso, o líder do bloco de oposição no Senado, Luiz Eduardo Dutra (PT-SE), descartou a pretensão expressa, na véspera, pelo presidente do Banco Central, Armínio Fraga, de se manter no cargo no próximo governo, caso o Congresso aprove nova lei para o BC: “Manda ele procurar o Sine (Sistema Nacional de Emprego)”. Embora a resposta de Dutra ajude a afastar o receio dos que temem um governo Lula la Rúa no Brasil, esta coluna suspeita de que Fraga vá é procurar outro integrante do sistema S: Soros.

Artigo anteriorPão de Açúcar
Próximo artigoAçougueiro
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Governo pode – e deve – controlar progresso tecnológico

Tecnologias transformadoras do século 20 não teriam sido possíveis sem liderança do Estado.

Salário mínimo baixo, gasto do Estado alto

Nos EUA, assistência a trabalhadores que ganham pouco custa US$ 107 bi por ano ao governo.

Privatização da Eletrobras aumentará tarifa em 17%

Estatal dá lucro e distribuiu R$ 20 bi em dividendos para a União.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

ANS determina que planos cubram novos remédios, exames e cirurgias

Novos exames e tratamentos passaram a fazer parte da lista obrigatória de assistência, que deverá ser observada a partir de abril.

Ibovespa futuro sobe no momento, mas com muita cautela

No exterior, Bolsas globais recuam em meio a preocupações com a inflação nos EUA.

IPC-S sobe em seis capitais brasileiras em fevereiro

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) subiu em seis das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV), na...

Trava política impede recuperação mais forte

Nesta segunda, mercados aqui foram na mesma direção do exterior em recuperação, mas sem mostrar maior tração. 

Sony deixará de vender áudio e vídeo no Brasil

Multinacional japonesa venderá aqui apenas consoles de games importados.