‘Não creiam na mão de obra barata’

Fábio Rapp, professor do Centro Preparatório Jurídico (Cpjur) faz uma pergunta fundamental sobre a reforma trabalhista, que...

Fábio Rapp, professor do Centro Preparatório Jurídico (Cpjur) faz uma pergunta fundamental sobre a reforma trabalhista, que entra em vigor no fim deste ano: “Será que todas as mudanças nos modelos e formatos de contratação, quando vigentes, não impactarão negativamente na qualidade dos serviços prestados?” Passamos pelo menos as últimas três décadas ouvindo chavões do tipo “funcionário precisa estar motivado”, “é preciso investir em treinamento” ou “o colaborador faz parte do capital da empresa”. As mudanças na CLT feitas a toque de caixa, sem qualquer planejamento estratégico ou unidade, mostram que o palavrório fica restrito aos livros para enfeitar estantes de executivos.

A reforma traz poucas, pouquíssimas alterações positivas (o fim da exigência de que o preposto seja funcionário da empresa, por exemplo, e outras normas que desburocratizam o DP). Mas a maior parte dos pontos alterados parece fruto de demandas isoladas, formando uma colcha de retalhos que vai acabar na Justiça do Trabalho. Ninguém duvide: os TRTs continuarão com a última palavra – e não necessariamente será a favor dos empresários que se empolgaram com a reforma.

Assim, com funcionários de segundo, terceiro, quarto escalão misturados, com menos direitos, alguém duvida qual será a resposta à pergunta do professor Rapp? Vale terminar com outra frase, do “pai da moderna gestão”, Peter Drucker: “Não sou especialista em Brasil, mas uma coisa estou habilitado em dizer: não creiam que mão de obra barata seja uma vantagem.”

 

Virada

Ao longo dos próximos meses, Trump não vai conseguir aprovar quase nenhum projeto da sua pauta, porém a História está cheia de exemplos de presidentes que aprendem com seus erros e passam a ter grandes êxitos legislativos”, opina o coordenador do MBA em Relações Internacionais da Fundação Getulio Vargas (FGV), Oliver Stuenkel, ao comentar os primeiros seis meses do presidente norte-americano.

Opinião compartilhada por seu colega da FGV Yann Duzert. “Ele pensava que o Estado é uma das suas empresas familiares. Após derrotas políticas internas e externas, como os casos do Obamacare e o conflito da Síria, Trump tenta, após reunião com o presidente da França, Emmanuel Macron, tornar-se mais flexível”, ressalta Yann Duzert.

 

Janeleiros no campo?

A contratação de médicos veterinários temporários pelo Ministério da Agricultura vai ser um tiro n'água. Muitos países não permitem que a carne seja inspecionada por profissionais que não sejam de carreira – caso dos Estados Unidos e dos que compõem a União Europeia, informa o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical).

A entidade critica também a realização de concurso para apenas 300 auditores-fiscais federais agropecuários. O déficit de profissionais seria quatro vezes superior.

 

Marca

Os desembargadores da 13ª Câmara Cível do Rio de Janeiro determinaram que a Sorveteria Bibi se abstivesse do uso da marca “BIBI” e alterasse seu nome empresarial de forma a não colidir com a tradicional Bibi Sucos. Foi determinada multa diária de R$ 2 mil caso a decisão não seja cumprida.

A Bibi Sucos, representada pelo escritório Di Blasi, Parente & Associados, questiona o nome e o símbolo adotado pela concorrente. Os desembargadores entenderam que não se pode permitir a confusão do consumidor no âmbito da concorrência.

O processo continua em tramitação na 1ª Vara Empresarial da capital.

 

Rápidas

A FGV Direito Rio realiza em 3 de agosto o I Seminário Brasil-China: Desafios Regulatórios e Legais para as Empresas e Investimentos Chineses no Brasil, com as presenças dos presidentes da Cnooc Brasil, CNPC Brazil e BYD do Brasil. Inscrições: http://direitorio.fgv.br/eventos/l-seminario-brasil-china *** A Uerj vai sediar o 9ª Barcamp de Tradutores e Intérpretes no Rio, 5 de agosto, de 9h às 13h, no campus do Maracanã). Detalhes no Facebook Brasillis Oficial *** Valeria Zettel é a nova gerente de Marketing do Shopping Park Lagos, em Cabo Frio (RJ) *** O especialista em marketing Gabriel Rossi volta a comandar o curso de Branding – Como Construir e Gerenciar Marcas Vencedoras na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), em São Paulo, 4 e 5 de agosto. As inscrições vão até o dia 3 em http://www2.espm.br/cursos/espm-sao-paulo/inovacao-em-branding-como-construir-e-gerenciar-marcas-vencedoras *** Vai até dia 29 o Festival Internacional de Música de Barra Mansa, organizado pela prefeitura, em conjunto com a Associação da Orquestra Sinfônica da cidade fluminense e do Centro Universitário de Barra Mansa (UBM).

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMercado democrático
Próximo artigoEsquerda toda a vida

Artigos Relacionados

Os EUA lavam mais branco

Lavagem de dinheiro através de imóveis tem poucos obstáculos na pátria de Tio Sam.

Apagão já foi tragédia, volta como farsa

Modelo de mercantilização da energia é o culpado.

Volume de reservatórios pode cair a 6% em novembro

Quadro crítico poderá ser alcançado em 2 meses, mesmo com tarifaço.

Últimas Notícias

Condomínios do Rio podem exigir comprovante de vacinação

É recomendado que tal exigência seja aprovada em assembleia por maioria dos presentes

Agronegócio brasileiro ainda está amadurecendo tecnologicamente

Por Regina Teixeira – Especial para o Monitor Mercantil

Livro traz bastidores de aquisições de startups por grandes empresas

Livro: 'Saída de Mestre: estratégias para compra e venda de uma startup'

Plano de assinatura garante um smartphone novo todo ano

A parceria une o propósito da Samsung de trazer inovação a cada lançamento - desta vez oferecendo sua terceira geração de smartphones - e...

WhatsApp testa funcionalidade de indicação de negócios em SP

Por enquanto só São Paulo terá esse recurso