Na City

A coluna de Ambrose Evans-Pritchard no Daily Telegraph de 15 de março revela que os problemas dos mercados hipotecários norte-americanos também rondam o sistema europeu, segundo relata o informe semanal Resenha Estratégica. Pritchard diz que sinais de tensão já se manifestam no equivalente local ao mercado subprime estadunidense, lá chamado below-prime, que representou 58% dos empréstimos imobiliários concedidos no Reino Unido, em 2006.
“O mercado está debaixo de uma tensão crescente. Estamos vendo problemas em todo o mercado, particularmente nos números de inadimplências de 90 dias ou mais”, disse a ele a analista da Standard & Poors Kate Livesey. A proporção total de clientes inadimplentes com os pagamentos das hipotecas já atinge 22,8%.

Doutor Palhares
Depois que o presidente Lula anunciou, no discurso da posse dos novos ministros, que a pasta da Agricultura não pode atender apenas “aos que gritam mais”, uma dúvida assaltou os contribuintes brasileiros: quem será o novo Doutor Palhares do ministro Reinhold Stephanes? Há 11 anos, quando dava plantão como ministro da Previdência de FH e respondia pelo atendimento do INSS, Stephanes pagou o “mico” de 1996, depois que o publicitário aposentado Hélio Kaltman revelou ter pego emprestado o nome de um personagem do universo de Nelson Rodrigues – o Doutor Palhares – para provar que a burocracia que respondia ao então ministro só se movia para acompanhar o processo de um cidadão da planície quando pensava estar falando com uma autoridade amiga do chefe.

Doutor Palhares II
Se apresentando como “Doutor Palhares, assessor do gabinete”, o publicitário conseguiu, em um mês, obter a restituição a que tinha direito de parte de suas contribuições ao INSS, após tentar, em vão, durante cerca de um ano, pelos canais oficiais, conseguir informações sobre o andamento do processo em postos da Previdência. Após ligar para superintendências regionais do INSS identificando-se como o Doutor Palhares, foi atendido rapidamente. A estratégia chegou a levá-lo a audiência, registrada por cadeia nacional de televisão, com um constrangido Stephanes.

Elogios
O tom dos discursos pronunciados pelo presidente Lula nas posses dos ministros ainda vai levar os próximos empossados a rezarem para não serem “homenageados” pelo chefe. Antes de enxergar qualidades nos auxiliares, Lula desconstrói o passado e a carreira da maioria. A exemplo do que fizera com o novo ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, o presidente, ao explicar por que escolhera Reinhold Stephanes para Agricultura, depois de lembrar os laços de Stephanes com a ditadura militar e com o tucanato, acrescentou que a nomeação era uma prova de que ele não se guia “apenas pelo passado” quando escolhe seus ministros. Aliás, Lula já avisara que, para ele, apenas em duas áreas do governo ele não se permite brincar: Saúde e Educação.

Apostilas
Levantamento da Associação Nacional de Proteção e Apoio aos Concursos (Anpac) aponta que cerca de 100 mil postos de trabalho serão abertos nas esferas federal, estadual e municipal em 2007, com a decisão do governo federal de substituir funcionários terceirizados por concursados. A medida foi um acordo entre o Ministério do Planejamento e o Tribunal de Contas da União (TCU). A pesquisa da Anpac incluiu cerca de 5 mil cidades brasileiras.

Ação social
Até o dia 20 de abril, empresas e organizações interessadas poderão inscrever suas ações para concorrer à quarta edição do Top Social ADVB. O prêmio contempla projetos que se destacam na prática de ações socialmente responsáveis O Top Social realizado em 2006 recebeu 86 inscrições e contemplou 21 ações desenvolvidas por organizações de todo o país. Mais informações em www.advbibem.com.br

Governo mundial
Nesta segunda-feira, o cientista político José Luiz Fiori fará a palestra de abertura do seminário que inaugura as atividades do novo programa de pós-graduação Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento, uma parceria entre UFRJ e Fiocruz. O tema da palestra, que começa às 17h, no Campus Praia Vermelha, Instituto de Economia (Salão Moniz Aragão), será  “Sistema Mundial e Desenvolvimento: A Estranha Forma de Governar o Mundo”.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFicha
Próximo artigoDoutores em fraudes

Artigos Relacionados

Engie valerá R$ 2,5 bi a mais após acordo com Aneel

Semana passada, o Monitor noticiou que a proposta da Aneel de repactuação do risco hidrológico (GSF) deixaria a conta a ser paga pelo pequeno...

Apelo de Biden ao multilateralismo fica sem crédito

Na ONU, presidente dos EUA desmente mundo dividido em blocos rígidos.

Fintechs e bancos disputam quem cobra mais

‘Não temos vergonha de sermos bancos’, diz Febraban; mas deveriam.

Últimas Notícias

Copom elevou taxa de juros em 1% para 6,25% ao ano

Aguardamos agora a ata que será divulgada na próxima terça-feira para maiores informações sobre a trajetória da taxa Selic.

Alemanha escolhe sucessor de Merkel no próximo domingo

Eleições deverão ser as mais concorridas dos últimos anos; pesquisas indicam vitória do SPD, social-democrata.

Reajuste salarial fica abaixo da inflação em agosto

Fipe: não houve aumento mediano real como resultado de negociações nos últimos 12 meses; desde setembro, índice tem oscilado de -1,4% a zero.

Clima positivo no exterior deve beneficiar índice Bovespa

Mercado internacional opera no positivo motivado por noticiário sobre Evergrande.

Evergrande, Fed e Copom

Bovespa encerrou o segundo dia de alta com +1,84% e índice em 112.282 pontos, mas na máxima chegou a atingir 113.321 pontos.