Na contramão da desindustrialização

Cinco eixos para o Brasil ter uma indústria alinhada com o padrão internacional.

Fatos e Comentários / 17:59 - 16 de nov de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O que fazer para a indústria brasileira retomar a importância que teve na economia e atingir um nível comparável às melhores do mundo? O Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industria (Iedi) lançou documento em que busca identificar as condições necessárias para que tenhamos uma indústria alinhada com o padrão internacional, quanto à sua competitividade, produtividade e sofisticação tecnológica.

Na visão do Iedi, esta estratégia deve ser composta por cinco eixos:

1 – Indústria 4.0: o país deve criar condições para absorver as tecnologias emergentes na revolução industrial em curso a nível mundial e também assegurar certo protagonismo no desenvolvimento dessas inovações.

2 – Potencialização da inovação, por meio do fortalecimento da educação básica e tecnológica, da promoção de sua articulação com o setor produtivo e de políticas orientadas a missões.

3 – Modernização do parque industrial para impulsionar a produtividade e a competitividade da indústria.

4 – Aumento da exportação de manufaturados, em especial de produtos mais complexos e intensivos em tecnologia.

5 – Agregação de valor a atividades em que o Brasil apresenta grande potencial de desenvolvimento ou reconhecida vantagem competitiva, a exemplo da agropecuária.

Salientamos que o aporte das atividades industriais para a construção do futuro do Brasil será maximizado se for seguida, a exemplo do que fazem muitos outros países desenvolvidos e em desenvolvimento, uma estratégia industrial visando, em última análise, elevar a produtividade e a competitividade do setor”, destaca a entidade.

 

Diabetes: 2x mais no Brasil

Estudo desenvolvido na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) revelou que o Brasil tem o dobro da prevalência de diabetes (diagnosticado e não diagnosticado) em pessoas acima dos 50 anos em comparação com a Inglaterra. A pesquisa utilizou uma amostra representativa de ingleses e brasileiros entre 2012 e 2015.

O trabalho é fruto de um projeto de iniciação científica conduzido pela gerontóloga Eilane Souza Marques dos Santos e pela fisioterapeuta Roberta de Oliveira Máximo, sob orientação de Tiago da Silva Alexandre, com apoio da Fapesp. A pesquisa foi publicada na Public Health Nutrition.

O projeto contou com 5.301 participantes do English Longitudinal Study of Ageing (Elsa) em 2012 e 1.595 participantes do Estudo Longitudinal de Saúde dos Idosos Brasileiros (Elsi) em 2015. Em números, a prevalência de pré-diabetes, diabetes não diagnosticado e diabetes diagnosticado foi de respectivamente 48,6%, 3% e 9,6% na Inglaterra. No Brasil, os percentuais foram de 33%, 6% e 20%.

O fato de o Brasil concentrar o maior número de pessoas com diabetes, diagnosticado ou não, pode ser devido a mudanças de hábitos de vida e ao elevado consumo de alimentos com baixa qualidade nutricional e de alto valor energético, uma vez que o diabetes teve forte associação com o sedentarismo e com a obesidade”, avalia Tiago Alexandre.

 

Naufragou

Alberto Carlos Almeida, autoproclamado “especialista em voto”, previu há 2 dias do 1º turno: “A candidatura Tatto é um enorme iceberg, em que o Psol vê só a ponta.” Frase do Twitter dele: “Não sou militante. Lamento não reforçar sua crença.”

 

Rápidas

O IAB debate os 30 anos do SUS, nesta quarta, 10h30, no canal TVIAB no YouTube *** Os moradores do Condomínio Barra Sul e arredores contam agora com aula funcional, no Bosque Barra Sul, recém reativado. As aulas acontecem com a equipe da Rio Ecoesporte, sempre às segundas, quartas e sextas, das 9h às 11h, gratuitamente *** A edição de novembro da A Mais Influente Business traz a reabertura do comércio pós pandemia e a volta do turismo em Fernando de Noronha *** O especialista em direito desportivo e sócio do Bosisio Advogados João Marcos Guimarães Siqueira participa, no dia 18, às 18h, do painel “Direito de greve dos atletas”, durante o Seminário sobre Direito Coletivo. Promovido pela Associação dos Advogados Trabalhistas (AATSP), será transmitido nas redes oficiais da instituição *** O Laboratório Inteligência de Vida (LIV) lança o 1° Programa Executivo para Gestores, junto à Fundação Dom Cabral. O programa visa a formação de gestores escolares e a troca de experiências entre os melhores profissionais do mercado.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor