Na ditadura, cresceram desigualdade, inflação e dívida

A paralisação dos caminhoneiros abriu espaço para as viúvas da ditadura militar. Defendem que nunca na história o...

A paralisação dos caminhoneiros abriu espaço para as viúvas da ditadura militar. Defendem que nunca na história o Brasil teve crescimento econômico tão elevado e prolongado. Um atentado contra a verdade. De 1964 a 1984, durante o regime militar, o Produto Interno Bruto (PIB) registrou crescimento médio anual de 6,29%. A produção per capita aumentou 3,64%. Nas duas décadas anteriores, entre 1946 e 1963, o PIB cresceu muito mais: média de 7,12% ao ano, segundo as estatísticas do IBGE. A população brasileira ficou mais rica a uma taxa média de 4,09% ao ano.

Ainda que o crescimento na ditadura tenha sido robusto, porém inferior ao período antecedente, foi marcante a concentração de renda, que disparou durante o regime militar. No índice de Gini, que vai de 0 a 1 (quanto mais próximo de 1, pior), a concentração saltou de 0,54, em 1960, para 0,63 em 1977. • O valor real do salário mínimo despencou. No final dos anos 70, eram necessárias 153 horas de trabalho para ganhá-lo, contra 65 horas em 1959. Alguém aí, mais velho, lembrou a frase “É preciso fazer o bolo crescer para depois reparti-lo”, do todo poderoso ministro Delfim Netto?

Com a crise do petróleo de 1974 e o fim do milagre econômico, a inflação beirava os 100% ao ano no final da década de 1970.• A dívida externa do Brasil quadruplicou, passando de US$ 3,7 bilhões, em 1968, para US$ 12,5 bilhões em 1973. O país foi às cordas e o governo militar teve que recorrer ao Fundo Monetário Internacional (FMI).

 

Pra frente, Brasil

Mas o crescimento médio em torno de 6% trouxe alguns efeitos positivos. Entre 1970 e 1980, fase final da ditadura militar, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) aumentou de 0,462 para 0,685 (quanto mais perto de 1, melhor).

A expectativa de vida da população aumentou nove anos na década de 1970. A taxa de mortalidade infantil caiu de 131 mortes a cada 1.000 nascimentos, em 1965, para 113, dez anos depois. Nesse mesmo período, o total de domicílios com saneamento básico cresceu 150%.

 

Autocrítica?

Grevistas e militaristas se juntam quando chega a zero a credibilidade da política. Democratas do Brasil, uni-vos”. O chamado foi feito pelo advogado Miguel Reale Jr., sobre o flerte da paralisação dos caminhoneiros com a intervenção militar.

Reale Jr. foi autor do pedido de impeachment que resultou na destituição da presidente eleita Dilma Rousseff e sua substituição pelo atual governo.

 

Veneno

Comissão especial da Câmara dos Deputados que analisa o chamado Projeto de Lei do Veneno (PL 6.229/200) cancelou a reunião prevista para esta terça-feira, onde tentaria votar esta nova lei dos agrotóxicos. Essa comissão é composta majoritariamente por deputados da bancada ruralista.

Na segunda, a Abrasco e a Associação Brasileira e Agroecologia, com o apoio da Fiocruz, entregaram ao deputado federal Alessandro Molon (RJ) o “Dossiê Científico e Técnico contra o Projeto da Lei do Veneno e a favor do Projeto de Lei que institui a Política Nacional de Redução de Agrotóxicos”. Molon é o relator da comissão especial instalada na Câmara.

 

Sem fila

Lojas de operadoras de telefonia fixa e celular em São Paulo têm um tempo máximo de espera para o atendimento de seus clientes de 15 minutos (em véspera de feriados, de 25 minutos). A Lei 16.725/2018, de autoria do deputado estadual Sebastião Santos (PRB), foi sancionada pelo governador e publicada em 23 de maio no Diário Oficial do Estado.

O descumprimento da lei sujeitará a empresa a multa no valor de 250 Ufesps (R$ 6.425), que poderá ser dobrada em caso de reincidência.

 

Rápidas

Marcos Dessaune, autor do livro Teoria aprofundada do desvio produtivo do consumidor – o prejuízo do tempo desperdiçado e da vida alterada, estará na sede da OAB/RJ na próxima segunda-feira para falar sobre essa teoria *** Nesta quarta-feira, a partir das 18h, o West Shopping promove mais uma edição do Baile da Boa Idade *** E já começam as festas juninas. O projeto Shows de Sexta do Caxias Shopping (RJ) vai homenagear o ritmo que dá o tom das comemorações. Até 22 de junho, shows gratuitos de forró. No dia 1º será o Trio Baião Lunar *** O 9º Encontro Anual da Associação dos Advogados de São Paulo (Aasp) ocorrerá de 7 a 9 de junho, em Belo Horizonte (no Hotel Mercure Lourdes). Os temas irão de famílias plurais a fake news. A plenária de encerramento terá a participação da ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo. Mais informações em www.aasp.org.br

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Moeda chinesa na mira dos bancos centrais

Participação como reserva internacional ainda é baixa… por enquanto.

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.

Cem anos de Celso Furtado

A atualidade de um dos mais importantes intelectuais do planeta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Lei do Superendividamento favorece negociação e cobrança humanizada

Início das multas no contexto da LGPD também deve frear a oferta de crédito a quem não pode pagar.

Mercado de fertilizantes especiais cresce 41,8% em 2020

Neste ano, a expectativa é de que o setor obtenha uma nova elevação de 24%.

Consumo nos setores de turismo e diversão cresce em junho no Rio

O consumo das classes C e D no Brasil recuou 5% em junho, depois de ter subido 8% em maio, de acordo com a...

População de países emergentes fica ainda mais pobre

Perda de renda foi 2x maior que nas nações ricas.

Pagamento indevidos: TCU encontra 11% de inconsistências no INSS

‘Falhas afetam a confiabilidade do banco de dados’ de benefícios previdenciários.