Na pauta

Quem incomoda é notícia. Essa parece ser a lógica dos jornalões estadunidenses. Enquanto políticos latinos de obediência canina às políticas ditadas por interesses financistas são ignorados pela imprensa daquele país, The New York Times dedicou entrevista de 940 palavras, ou cerca de meia página, à senadora colombiana Piedad Cordoba, uma das principais mediadoras das negociações entre as Farc e o governo Uribe. Na entrevista, a senadora lamenta a morte do secretário-geral das Farc, Manuel Marulanda, observando que ele “tinha boa vontade e intenção de (libertar) os reféns”: “Necessitamos de gente  como ele, que podia fazer a paz, para que a Colômbia possa sair  de todo este buraco tão profundo em que esta.”

Preço na engorda
O preço da carne pode continuar subindo, pressionada pela redução da oferta. A previsão é de George Haddad, sócio-diretor da BDO Trevisan no escritório de Ribeirão Preto. Haddad observa que, no primeiro trimestre, o IBGE registrou a primeira queda no abate de bovinos desde 1997, o que já se refletiu nos preços: “O produto vem encarecendo, não só pela queda do abate, mas também pela tendência de deslocamento do boi para a região Norte do país. Soma-se a isso o encarecimento no valor do transporte desse gado e as instalações de frigoríficos, entre outros. Quanto mais longe do abate, mais caro fica”, salienta Haddad.

Bezerro de ouro
O analista acrescenta que, desde o ano passado, o volume de animais abatidos diminui a cada trimestre, acompanhando a escassez de oferta de boi gordo, cujo preço sobe desde então. Na comparação com o último trimestre de 2007, houve queda no número de todos bovinos abatidos, à exceção das vacas, cujo abate aumentou 24,4%. Haddad considera “preocupante”, o crescimento do número de abate de matrizes: “Com o abate das matrizes, perde-se na produção de novilhos, na produção de leites e de outros 550 produtos derivados do boi”, alerta.

Churrasco especulativo
De acordo com o IBGE, entre 1997 e 2002, de todos os bovinos abatidos, 32% eram vacas. Esse percentual, que fora de 37%, em 2003, saltou para 44%, em 2006, alcançando 45%, no primeiro trimestre de 2008. Haddad prevê uma crise no fornecimento até 2010, atribuindo o problema a vários fatores: “Processo de sofisticação do gado, abate de matrizes, transporte de longas distâncias, tudo isso pressiona os preços para cima. O gado não pode estar mais do que 300 km do local de abate. Isso encarece mesmo”, observa.
Esta coluna acrescenta ao cardápio dos motivos que pressionam pela alta a especulação que tomou de assalto o mercado agrícola, desde que, no dicionário do mercado financeiro, comida virou sinônimo de commodity.

Lado mais fraco
Da lógica capitalista: para resistir às investidas da Inbev, a Anheuser-Busch, fabricante da cerveja Budweiser, vai demitir quase 1,3 mil funcionários. O objetivo é aumentar o lucro dos acionistas e, assim, diminuir o impacto causado pela oferta da cervejeira holandesa, que no Brasil controla a AmBev. O mais irônico é que um dos motivos alegados pela diretoria da companhia norte-americana para não aceitar a proposta é que haveria demissões…

CDC
A Casa & Vídeo colocou um produto em promoção, com excelente preço. Mas uma cliente que tentou comprar, em uma loja na Barra, ficou de mãos abanando. Os funcionários alegaram que a promoção, no luxuoso encarte da loja, continha um erro e que uma errata fora publicada alertando os consumidores. Acontece que, um dia antes, funcionários de uma filial em Niterói alegavam que o produto havia acabado justamente porque o preço estava “fantástico”. Ou enganaram a cliente na Barra, ou não avisaram aos funcionários de Niterói sobre a “errata”.

Solar
Na quarta-feira, a equipe do Pólo Náutico da UFRJ, que participa da Frisian Solar Challenge, na Holanda, subiu ao pódio mais uma vez. O piloto Rafael Coelho fez os 32km do percurso Stavoren-Bolsward em 3 horas e 20 minutos, chegando em terceiro lugar, repetindo o desempenho do dia anterior e garantindo o quarto lugar geral da competição, que envolve outras 48 equipes, todas européias. A Frisian Solar Challenge é um rali de barcos solares, projetados e construídos pelos próprios competidores, e caracteriza-se como uma forma de divulgar e popularizar fontes alternativas de energia para embarcações, que costumam utilizar motores de combustão.

Artigo anteriorPensamento crítico
Próximo artigoLoteria
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Chile, Paraguai, Colômbia… e o Brasil?

Crises políticas e sociais nos países vizinhos acendem alerta.

Na pandemia, BNDES vendeu ações que agora valem o dobro

Em nove meses, banco perdeu R$ 8 bi só em 1 operação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Conteúdo online voltado para o ensino e para ganhar dinheiro

Cada vez é mais possível aproveitar o conteúdo online para avanços desde a fluência do inglês das crianças a até aprender a operar como trader na bolsa.

Queda de faturamento atinge 82% dos MEI

Em Minas, 60% dos microempreendedores individuais formalizados na pandemia abriram o negócio por oportunidade.

Inflação oficial fica em 0,31% em abril

Grupo com alta relevante no mês foi alimentação e bebidas (0,40%), devido ao comportamento de alguns itens.

Manhã de hoje é negativa em quase todo o mundo

Em Nova Iorque, Dow Jones e S&P futuros cediam 0,10% e 1,04%, respectivamente.

Projeção da Selic é de 5% no final deste ano

Para o ano que vem, analista projeta 6,5%, dado o alerta do Copom sobre o ritmo de normalização após reunião de junho.