26 C
Rio de Janeiro
quarta-feira, janeiro 20, 2021

Na visão de Moro, não cabem desertores; ou hereges

A entrevista do ministro Sergio Moro à Folha abordou vários temas, e em todos eles o ex-juiz saiu pela tangente ou simplesmente não conseguiu responder as perguntas. Mas quando os jornalistas Leandro Collon e Camila Mattoso o apertaram sobre a Vaza Jato, a falta de argumentos imperou.

Inicialmente, tentou desqualificar o assunto, rebatendo: “A Folha não cansou dessa história?”, como se, por ter ficado há meses sem ser esclarecido, o tempo apagasse o escândalo. Na sequência, preferiu atribuir à Operação Lava Jato imunidade pelo grau de inimigos que enfrentou, algo que poderia ser resumido em algo como “os fins justificam os meios”.

Moro caiu em contradição ao explicar a ilegal gravação e divulgação da conversa entre o ex-presidente Lula e a então presidente Dilma: “Externei na minha decisão que havia sido captada uma possível tentativa de obstrução de Justiça, que havia sido finalizada a interceptação, que estávamos dando publicidade àqueles fatos para inclusive coibir a tentativa de obstrução, para que o público soubesse. Não precisamos esconder segredos sombrios de homens públicos. A transparência é fundamental.”

Fundamental para os outros; aparentemente, não para ele. Pois, sobre a divulgação das conversas via Telegram entre o então juiz e os procuradores da Lava Jato, preferiu duvidar que “são lícitas e todas autênticas”. Bem, a gravação do diálogo entre Lula e Dilma não foi lícita, mas Moro não só divulgou, como segue defendendo a abertura de segredos.

Uma sentença revela a forma como o ministro enxerga sua atuação. Sobre a insistência da Folha em ouvi-lo sobre a Vaza Jato, Moro afirmou: “Tem aquela história do soldado que estava marchando, e o outro soldado que está marchando no passo errado. Talvez seja a Folha.”

Na visão do chefe da Lava Jato, não cabem desertores. Ou hereges.

 

Esfarrapado

As pessoas deveriam ter condições de confiar que as empresas de equipamentos e software 5G não vão ameaçar sua segurança, sua privacidade, seu endereço IP ou os direitos humanos. Para os países que desejam construir suas redes 5G, a avaliação de risco da Comissão da União Europeia listou essas ameaças. Agora é hora de manter esses países seguros.”

O tuíte acima é de Mike Pompeo, secretário de Estado dos Estados Unidos, este país que não controla as comunicações, não espiona nem seus cidadãos, nem os dos outros países, e são sede de empresas que prezam a privacidade como Facebook e Google.

 

Responsabilidade fiscal

Na semana passada, a Amazon foi apontada pelo grupo de campanhas de transparência tributária Fair Tax Mark como a pior das seis grandes empresas de tecnologia dos EUA na tarefa de evitar impostos ao transferir receitas e lucros através de paraísos fiscais. Segundo a denúncia, a Amazon pagou apenas US$ 3,4 bilhões em impostos sobre sua renda global até agora nesta década, apesar de ganhar receitas de US$ 960,5 bilhões e lucros de US$ 26,8 bilhões.

No início deste ano, um amigo da coluna comprou um produto de uma loja britânica na Amazon do Reino Unido, para entrega em Londres. O débito no cartão de crédito foi feito na Amazon Luxemburgo.

 

Vegetarianos

Algumas décadas atrás, Betinho lançava a campanha Natal sem Fome. Agora, em 2019, Bolsonaro e Guedes lançam a campanha Natal sem Carne.

 

Rápidas

Nesta sexta-feira, às 16h, a OABRJ sediará um ato público em defesa da cultura. Será elaborado um manifesto a ser entregue ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia *** Paulo Henrique Faria Nunes, doutor em Ciências Políticas e Sociais e pesquisador na PUC de Goiás, recebeu o Prêmio Manuel Guerreiro, concedido pela Universidade do Algarve (Portugal) pelo livro A institucionalização da Pan-Amazônia *** A banda Mr. Vintage levará rock para o Caxias Shopping nesta sexta-feira, às 19h30 *** A caravana de Natal da Coca-Cola passará pelas lojas da Barra (dia 22) e de Irajá (23) do Supermercados Mundial *** A YES! Idiomas fechou parceria com o Governo do Estado do Rio de Janeiro para oferecer a agentes da Lei Seca, do Segurança Presente, da Barreira Fiscal e da Marcha pela Cidadania e Ordem cursos de inglês pela metade do preço e isenção na matrícula.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

É hora de radicalizar

Oposição prioriza impeachment, mas sabe aonde quer chegar?.

Soja ameaça futuro do Porto do Açu

Opção por commodities sobrecarrega infraestrutura do país.

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Exportações de suco de laranja recuam 23% entre julho e dezembro

Safra menor e estoques mais elevados estão entre as principais razões para a baixa.

Os desafios para Joe Biden nos EUA

Avanço da Covid-19 pode fazer com que democrata e equipe tenham que apagar alguns incêndios no começo do mandato.

Mercados sobem em véspera do Copom

Campos Neto, presidente do BC, participa da primeira sessão da reunião do Copom.

Mercados locais sobem seguindo Bolsas mundiais

Dia amanhece com tendência de alta para o mercado interno, seguindo NY na volta do feriado.

Contra tudo temos vacina

Dia promete ser de mais recuperação da Bovespa, dólar fraco e juros em queda.