Natal teve aumento de 91% em tentativas de fraudes ante 2020

Em termos financeiros, foram R$ 468,9 em fraudes evitadas no varejo virtual em 2021, contra R$ 300,7 milhões no ano passado.

O Natal em 2021 teve um aumento de 91,35% no número de fraudes evitadas no varejo eletrônico brasileiro, subindo de 260.733 pedidos potencialmente fraudulentos em 2020 para 498.923 neste ano. Em termos financeiros, foram R$ 468,9 em fraudes evitadas no varejo virtual em 2021, contra R$ 300,7 milhões no ano passado – crescimento de 56,25%. Os dados são do levantamento da ClearSale e o período levado em conta no comparativo é o de 1º a 25 de dezembro, tendo sido analisados somente pedidos pagos com cartão de crédito.

As categorias que geraram maior número de fraudes evitadas neste ano foram: celular, eletrônicos, automotivo, bebidas e ferramentas. Em 2020, a lista foi composta por bebidas, eletrônicos, celular, eletrodomésticos e ar-condicionado.

Já analisando pelo valor dos produtos, as categorias com maior índice de possíveis ações fraudulentas foram: eletrônicos, automotivo, bebidas, joias e informática. No ano passado, o Top5 foi preenchido por eletrônicos, bebidas, informática, celular e automotivo.

Já estudo da Check Point Research (CPR), divisão de Inteligência em Ameaças da Check Point® Software Technologies Ltd. (NASDAQ: CHKP), alerta para uma nova campanha de malware que explora a verificação da assinatura digital para roubar dados pessoais e informações sensíveis. O ZLoader é o malware dessa campanha que já soma mais de 2 mil vítimas em 211 países. No Brasil, o número de vítimas detectado pela CPR é de 21 residentes no país.

A divisão CPR atribui a campanha maliciosa, que se refere a novembro de 2021, ao grupo Malsmoke, que tem feito um grande esforço para aprimorar as suas técnicas evasivas. O ZLoader é conhecido por ser uma ferramenta de disseminação de ransomware, incluindo Ryuk e Conti. O ZLoader é um cavalo de troia bancário que recorre a web injection, uma técnica que, por meio da injeção de código malicioso, permite roubar cookies, senhas e quaisquer outras informações sensíveis. Naquele mesmo mês, a Microsoft alertou para a alteração do método de ataque do ZLoader. Os atacantes estavam comprando palavras-chave do Google Ads para distribuir vários tipos de malware, incluindo o ransomware Ryuk. Agora, a divisão Check Point Research noticia o ressurgimento do ZLoader numa campanha que conta já com mais de 2.000 vítimas espalhadas por mais de 111 países. O ataque é atribuído ao grupo de cibercriminosos MalSmoke.

A infecção começa com a instalação do software Atera na máquina da vítima. Atera é um software de gerenciamento e monitoramento remoto corporativo legítimo, projetado para uso de TI. Depois da instalação, o atacante tem acesso total ao sistema, sendo capaz de carregar e baixar arquivos, bem como executar scripts. Assim, o atacante baixa e executa scripts que baixam mais scripts que, por sua vez, executam o software mshta.exe com o arquivo appContast.dll como parâmetro.

O arquivo appConstant.dll é assinado pela Microsoft, embora mais informações tenham sido adicionadas ao final do arquivo.

As informações adicionadas baixam e executam a carga útil final do Zloader, roubando credenciais do usuário e informações pessoais das vítimas. Até o momento, a CPR registrou o número de 2.170 vítimas únicas. A maioria reside nos EUA, seguidos pelo Canadá e Índia. O Brasil registra 21 vítimas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Brasileiro buscou mais crédito para compra de veículo

Veículos pesados e motos se destacam

10 milhões cadastrados para darem block em telemarketing

São Paulo, Minas e Rio são os que tem maior número de telefones bloqueados.

Balança comercial teve o maior superávit da série histórica

Já exportações do agro paulista aumentam 9,5% em 2021.

Últimas Notícias

Empresa brasileira de produtos médico-hospitalares cresce 20% em 2021

Faturamento foi de R$ 28 milhões.

Brasileiro buscou mais crédito para compra de veículo

Veículos pesados e motos se destacam

Varejo, petrolíferas e bancos puxam Ibovespa

Siderúrgicas e Vale ficam na contramão do mercado

Uso de cheque cai ladeira abaixo

Avanço tecnológico mudou hábito arraigado da clientela

Covid-19 fecha 478 agências bancárias em SP

500 bancários foram confirmados com covid-19.