Natura emite debêntures atreladas a bioativos da Amazônia

26

A multinacional Natura, do setor de higiene e cosmética, informou o lançamento de sua 13ª emissão de debêntures no formato de sustainability-linked bonds (SLBs), no valor de R$ 1,32 bilhão. A marca atraiu investimentos de R$ 500 milhões, sendo R$ 300 milhões do International Finance Corporation (IFC) e R$ 200 milhões do BID Invest, braço do Banco Interamericano de Desenvolvimento voltado para o setor privado. O anúncio foi feito nesta quarta-feira. Os sustainability-linked bonds são conhecidos como títulos atrelados à sustentabilidade que têm metas de ESG assumidas pelas empresas.

Silvia Vilas Boas (foto), vice-presidente de Finanças e Estratégia da empresa, explica que a emissão objetiva fortalecer a bioeconomia da Amazônia. Segundo ela, esse movimento é essencial não só para combater a crise climática, mas também para promover benefícios econômicos, sociais e ambientais substanciais para a região. “O Brasil tem um potencial imenso para liderar globalmente este modelo de negócios que harmoniza geração de renda com conservação ambiental”, afirma a executiva.

Na estrutura do sustainability-linked bond, a companhia tem liberdade no uso dos recursos, mas se compromete com metas específicas de sustentabilidade. Um dos principais compromissos é o desenvolvimento de bioingredientes amazônicos, que já estão presentes em várias linhas de produtos, com destaque para a linha Ekos. Até agora, a empresa desenvolveu 44 bioingredientes, e o modelo de negócio que vem sendo implementado na Amazônia há 25 anos tem contribuído para a conservação de 2,2 milhões de hectares de floresta, em parceria com mais de 10 mil famílias locais. A meta é expandir para 49 bioingredientes até 2027.

“Ao desenvolver mais ativos originários da Amazônia e aumentar o uso de bioingredientes em nossos produtos, também ampliamos o número de famílias fornecedoras. Isso distribui mais renda e fomenta a economia local, enquanto ajuda a manter a floresta em pé. Formamos, assim, uma rede de impacto positivo que beneficia todos os envolvidos e contribui tanto para a preservação quanto para a regeneração da floresta.”, disse a executiva.

Espaço Publicitáriocnseg

Parceria

Como investidor âncora desta operação, a IFC, braço do setor privado do Grupo Banco Mundial, mobilizou recursos adicionais para apoiar investimentos na Amazônia. Esta emissão ajudará a impulsionar a economia local e as comunidades e apoiará cadeias de fornecimento sustentáveis de sistemas agroflorestais, contribuindo com a bioeconomia amazônica. Além disso, o sustainability-linked bond ajudará a transformar a bioeconomia amazônica ao mesmo tempo que contribui para a preservação da floresta.

O BID Invest se juntou como investidor de impacto, promovendo mercados de capitais sustentáveis na região para gerar impacto social e econômico. Esta transação é apoiada pelo programa Amazônia Sempre, do Grupo BID, e contribuirá para a estratégia de sustentabilidade da Natura através de suas soluções baseadas na natureza para o desenvolvimento sustentável da Amazônia.

“Estamos entusiasmados em fazer parceria com a Natura e ancorar a emissão do primeiro Sustainability-Linked Bond com metas de desempenho vinculadas ao fornecimento amazônico no Brasil,” disse Manuel Reyes-Retana, diretor regional da IFC para América do Sul. “Estamos confiantes de que o investimento da IFC ajudará a reforçar a produção de bioingredientes da Natura, destacando importantes iniciativas de fornecimento sustentável e contribuindo para a conservação da biodiversidade. Este é um caminho importante para conciliar a proteção da Amazônia com o desenvolvimento econômico,” acrescentou.

“Esta emissão demonstra o potencial dos Sustainability-Linked Bonds para remodelar toda a indústria de mercado de dívida sustentável e gerar maior impacto,” afirmou Guillermo Foscarini, diretor corporativo da Divisão de Corporativos do BID Invest. Ele ressalta que o setor privado é crucial para gerar mais impacto na região amazônica e o BID Invest está totalmente comprometido em apoiá-lo, fortalecendo instrumentos financeiros i e atraindo mais capital para um crescimento sustentável e inclusivo. “Até o momento, o BID Invest apoiou 41 emissões de títulos rotulados na região, totalizando US$ 3,6 bilhões arrecadados por nossos clientes.”

O processo de due diligence realizado pela IFC e pelo BID Invest é extremamente rigoroso, garantindo a conformidade com padrões internacionais de sustentabilidade e ética. “Essas instituições realizam uma avaliação meticulosa, examinando tanto nossas políticas internas quanto externas, além de nossos compromissos e práticas. Eles nos comparam com os altos padrões do Grupo Banco Mundial em aspectos críticos como condições de trabalho e práticas ambientais. Apenas empresas que satisfazem esses critérios exigentes são elegíveis para receber financiamento,” explica Silvia Vilas Boas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui