Natura recebe premiação da ONU na COP25

Prêmio é o mais importante de mudanças climáticas do mundo.

Mercado Financeiro / 16:12 - 11 de dez de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Madri – A Natura recebeu o UN Global Climate Action Award em cerimônia realizada nesta terça-feira, durante a 25ª Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas (ONU), a COP25, em Madri. A iniciativa analisou todo o trabalho realizado pela companhia e a reconheceu como uma empresa protagonista mundial no combate às mudanças climáticas por seu Programa Carbono Neutro.

Os vencedores já haviam sido anunciados durante a Climate Week, realizada em Nova York, em setembro deste ano. As 15 iniciativas vencedoras dentre 670 projetos inscritos representam mais de 20 países. A Natura foi a única brasileira premiada. Entre os demais selecionados estão a iniciativa de redução de emissões da Apple e a empresa de “carne vegetal” Impossible Foods.

Segundo a ONU, os projetos selecionados representam exemplos práticos, escalonáveis e replicáveis que pessoas, empresas, governos e indústrias estão adotando para combater as mudanças climáticas. O intuito é inspirar novas políticas e ações para forjar um futuro de baixa emissão de carbono, aumentar a ambição do Acordo de Mudança Climática de Paris e cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

O prêmio reconhece uma jornada que a Natura decidiu trilhar há mais de uma década ao escolher se tornar uma empresa carbono neutro. Esse tipo de reconhecimento tem o poder de inspirar a adoção de ações e de escalar iniciativas orientadas para zerar a emissão de carbono na atmosfera em nível global”, comenta Keyvan Macedo, gerente de Sustentabilidade da Natura, que está representando a empresa durante a COP25.

 

Hora da Ação”

 

Em junho deste ano, o grupo Natura &Co – que reúne as marcas Natura, The Body Shop e Aesop – firmou um pacto com outras 87 empresas globais para reduzir suas emissões de carbono e evitar que o aquecimento global ultrapasse os 1,5ºC a temperatura do planeta, se comparado à temperatura média da era pré-industrial. A meta final é chegar a uma economia carbono neutro até 2050. A ação faz parte da campanha “Business Ambition for 1.5°C: Our Only Future”.

Este é o primeiro grande compromisso feito pelo grupo Natura &Co desde que Natura, Aesop e The Body Shop se uniram, formando um grupo movido por propósitos. A Natura é carbono neutro desde 2007. Em 12 anos, a empresa apoiou mais de 30 projetos de compensação com impacto socioambiental, neutralizando a emissão de 3,4 milhões de toneladas de carbono

A COP25 reúne líderes políticos, diplomatas, especialistas e ativistas ligados ao clima para discutir as mudanças climáticas. Nesta edição a COP tem o slogan “Hora da Ação” (“Time for Action”). Desde 2015, quando foi assinado o Acordo de Paris, um grande compromisso climático global, as conferências do clima têm se dedicado à discussão de como colocar mais rapidamente ações em prática.

 

Programa Carbono Neutro

 

Lançado em 2007, o Programa Carbono Neutro da Natura foi o primeiro compromisso público da empresa para neutralizar suas emissões, além de mitigar seus impactos para as mudanças climáticas. O monitoramento das emissões abrange desde a extração das matérias-primas até a produção, distribuição e descarte dos produtos.

A iniciativa fomenta ações de desenvolvimento sustentável aliado à agenda climática, tais como geração de empregos, capacitação, transferência de tecnologia, fortalecimento de economia local, empoderamento das mulheres, proteção da biodiversidade e recursos hídricos.

Para as emissões que ainda não consegue evitar, a Natura contrata projetos de compensação que geram benefícios climáticos por meio de plataforma colaborativa com apoio do Instituto Ekos Brasil e em parceria com Itaú Unibanco, B3 e Lojas Renner.

Hoje, a Natura apoia 38 projetos de neutralização de carbono. Entre eles, há ações de reflorestamento da nascente do rio Xingu e o Carbono Circular, primeira iniciativa de pagamento das compensações dentro da própria cadeia produtiva. Ao todo, já foram compensadas 3,4 milhões de toneladas de carbono e gerados R$ 1,6 bilhão em valores equivalentes à geração de serviços ambientais, sociais ou comunitários.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor