Negócios como de costume

Até agora não foi aberta investigação oficial sobre as denúncias da Vaza Jato.

O jornalista Kennedy Alencar diz ser impressionante como não foi aberta até agora uma investigação oficial para apurar as denúncias feitas pelo The Intercept Brasil contra a Família Lava Jato. Realmente, o que prevalece nos órgãos que deveriam apurar – caso da Polícia Federal e do Conselho Nacional do Ministério Público – é um ensurdecedor silêncio, para usar um lugar-comum.

Basta Sergio Moro e os procuradores da Lava Jato dizerem que não se lembram dos diálogos nem reconhecem a veracidade de conversas, que eles acusam de terem sido obtidas ilegalmente, para tudo seguir como sempre. Business as usual, diriam os envolvidos – aliás, a se confirmarem as denúncias que vieram à tona desde o final de semana contra Deltan Dallagnol e sua indústria de palestras, haja business.

Na noite desta segunda-feira, o jornalista Reinaldo Azevedo divulgou novos trechos dos diálogos da Vaza Jato. Segundo as mensagens, de 16 de janeiro de 2016, Dallagnol pediu a Sergio Moro a destinação de valores da 13ª Vara, para produzir um vídeo contra a corrupção, pelas dez medidas, que seria veiculado na Globo. Moro teria respondido no dia seguinte: “Se for uns 38 mil [reais], acho que é possível. Deixa eu ver na terça e te respondo.” O diálogo não revela como o vídeo seria divulgado pela Globo, nem o que a emissora ganharia em troca.

A comparação é pertinente: por muito menos, Moro condenou dezenas denunciados por Dallagnol e sua turma. Se como ministro, o ex-juiz age com corporativismo, cabe ao Supremo deixar a letargia e tomar alguma postura firme. Por enquanto, a posição que fica é de que os fins justificam os meios; até chegar o momento em que não serão necessários fins, restando apenas os meios.

 

Lanterna

Segundo o levantamento Brazil Digital Report de 2019, da consultoria McKinsey, a produtividade brasileira evoluiu muito pouco em quase três décadas. O ganho anual de produtividade no Brasil entre 1990 e 2018 foi de apenas 1,3%. Como base de comparação, na China este ganho foi de 8,8% ao ano no período, enquanto que na Índia foi de 5%, e no Chile, nosso vizinho latino-americano, foi de 3%.

 

Aperto

Desde 4 de julho, o Estado do Rio de Janeiro passou a exigir a implantação de programa de compliance para conceder benefícios fiscais. “O condicionamento da concessão do benefício à quem tem o programa de integridade constituído é uma forma de privilegiar empresas já estão engajadas no combate à corrupção e uma maneira indireta de fomentar a adesão ao programa pelas demais”, defende o advogado Yuri Sahione e Presidente da Comissão de Compliance do Conselho Federal da OAB.

De acordo com a legislação, a exigência não é válida para pequenas ou médias empresas, com faturamento anual abaixo de R$ 4,8 milhões. O Rio é pioneiro no assunto.

 

Maravilhosa

O programa “Conheça o Rio a pé”, uma promoção da Associação dos Embaixadores de Turismo do Rio de Janeiro, do Portal Consultoria em Turismo Bayard Boiteux e da Escola Técnica de Turismo Cieth, realiza mais uma caminhada gratuita, na próxima sexta-feira.

Com o apoio da Sergio Castro Imóveis e da Fundação Cesgranrio, os participantes poderão conhecer o Largo do Machado e arredores, durante aproximadamente duas horas, acompanhados de um guia de turismo especialista na região. Para participar, é preciso fazer a inscrição prévia em cieth.com.br

 

Os perdulários

A reforma da Previdência corta as pensões de viúvas acima de um salário mínimo. Já as pensões dos militares e alguns altos funcionários – inclusive de filhas solteiras, como Maitê Proença – seguem firmes e fortes. Legais, diga-se de passagem. Mas moralmente indefensáveis.

 

Rápidas

A Divisão de Cirurgia Plástica do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle (Unirio) realiza dia 20, às 9h, o Fórum de Atualização em Feridas. Entre os convidados, o cirurgião Marco Aurélio Pellon, integrante da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, e a cirurgiã Maria Helena Rabay *** O Caxias Shopping, em parceria com o projeto Apaixonados por Quatro Patas, realizará neste sábado mais uma edição da campanha solidária de adoção e vacinação de cães e gatos, das 10h às 16h. No primeiro semestre, foram adotados 141 animais no Busucão *** Eduardo Rieche encena Inquieto Coração, às terças e quartas, às 19h, no mesmo palco da Casa Laura Alvim (RJ) onde estreou a peça há dez anos.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

União perde bilhões de dólares no petróleo

Lei isentou campo mais produtivo de pagamento de participações especiais.

Taxa de carbono vai custar quase € 800 mi à Turquia

Barreira ambiental da União Europeia é alerta para o Brasil.

Sonho da casa própria fica mais distante

Contratação de moradias com recursos do FGTS cai ano após ano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

EUA: 3,5 milhões de despejos

Mais de 3,5 milhões de norte-americanos estão ameaçadas de despejo poucos dias após o término da prorrogação da medida de proteção aos inquilinos inadimplentes...

STF dá prazo para Bolsonaro explicar bloqueio de jornalistas

O presidente da República terá 10 dias para explicar o bloqueio de jornalistas em seu perfil no Twitter. O prazo foi estipulado pela vice-presidente...

Bolsonaro descarta tributar grandes fortunas

A possibilidade de instituir imposto sobre grandes fortunas, tabelamento de preços ou aumento de carga tributária no Brasil foi descartada nesta segunda-feira pelo Jair...

Só 3,5% das empresas têm mulheres como CEO

BR Rating ouviu 486, sendo 57% de capital nacional e 43% multinacionais Apenas 3,5% das corporações têm mulheres atuando como CEOs, uma prova de que...

Brasil pode ser principal player para investimentos verdes

“Atualmente, estima-se R$ 30 bilhões em gestão de títulos verdes no país, com grande potencial de crescimento, frente a US$ 1 trilhão de recursos...