Negócios, política, futebol: clube empresa funciona?

Piñera, hoje presidente do Chile, ajudou a mudar lei que acabou jogando os times na insolvência - e comprou o Colo-Colo.

A pressão para que os clubes de futebol no Brasil se transformem em empresas é vendida como panaceia para tirar o futebol da administração amadora e sujeita a interferência políticas. Antes de comprar a tese, vale olhar a experiência internacional. A chilena, por exemplo, para ficar num país tão ao gosto do atual governo brasileiro.

No blog do Grupo de Pesquisa Esporte e Cultura (FCS/Uerj/CNPq), Irlan Simões relata: “Poderíamos falar também do caso das sociedades anônimas do Chile. Principal impulsionador da lei das Sociedades Anónimas Deportivas Profesionales (SADP), o então senador Sebastián Piñera aparece como um caso de ‘ingerência política’ brilhante relacionado à transformação dos clubes em sociedades anônimas.”

Piñera foi um dos principais autores de uma reintepretação de uma lei onde o Leão chileno passou a cobrar impostos retroativos sobre premiações e luvas em assinaturas de contratos entre clubes e jogadores, datados de mais de duas décadas atrás.

O fato ‘criou’ uma dívida de dezenas de milhões para os clubes, tornando-os insolventes, e colocou o tema das SADP na prioridade da pauta.” Seis meses depois estava promulgada a lei que convertia clubes em empresas.

Às vésperas da sessão que votou pela aprovação da lei, o mesmo Sebástian Piñera já havia se tornando sócio majoritário da Blanco y Negro S.A, empresa que passa a controlar o Colo-Colo, maior e mais popular clube do país. O Colo-Colo se tornaria uma ferramenta indispensável para que Piñera se tornasse, cinco anos depois, presidente da República do Chile.”

 

Revisão

A Fundação Getulio Vargas (FGV) deverá rever, em outubro, a previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2019. A estimativa, feita em março, continua em 1,1%, enquanto o mercado financeiro e até o governo esperam menos de 0,9%. A FGV espera um terceiro trimestre melhor que os dois primeiros do ano, com crescimento de 0,5% nos meses de julho, agosto e setembro.

 

Atraso

De janeiro de 2018 a junho de 2019, quase metade (49%) dos microempreendedores individuais (MEIs) deixaram de pagar ou atrasaram o pagamento do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS), calcula a Azulis, plataforma que oferece soluções para pequenas e médias empresas, que analisou as estatísticas do governo relacionadas ao Simples Nacional.

A inadimplência acarreta diminuição de arrecadação para o país e pode prejudicar o empreendedor também. Para citar um exemplo; se o MEI deixar de pagar 13 parcelas de contribuição, pode perder seus benefícios como segurado da Previdência Social”, afirma Daniel Miranda, da Azulis.

 

Vale eficiente

Gestão dos vale-transporte contribui para reduzir em até 40% o custo com essa obrigação. “Conseguimos economizar até 40% no primeiro mês e depois cerca de 25% de maneira recorrente”, afirma Carlos Mascarenhas, sócio-diretor da Audaz, que tem uma ferramenta com esse objetivo.

O Legalize Group, da área contábil, conseguiu uma economia de 30% dentro da própria empresa e passou a oferecer o serviço aos clientes. “A contabilidade vai virar commodity em um curto espaço de tempo, e quem souber trazer soluções que atuam na gestão dos clientes terá grandes diferenciais”, afirma Richard Clayton, diretor da empresa.

 

Liberdade, nem econômica!

Quem afirma que o regime militar buscava a liberdade econômica está de brincadeira ou gosta de fake news. “O período de controle de preços mais rígido foi exatamente 1965 a 1985”, lembra o consultor Luiz Affonso Romano, com a experiência de quem foi diretor da Sunab.

 

Rápidas

O ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles, secretário da Fazenda e Planejamento do Estado de São Paulo, fará a abertura do 17º Fórum de Finanças e Investimentos do Brasil da LatinFinance, que será realizado nesta quinta-feira, no Hotel Renaissance, em São Paulo *** Após sediar a 1ª Jornada de Alergia Alimentar da Região Serrana este mês, a Faculdade de Medicina de Petrópolis receberá o 2º Simpósio de Mastologia, em 19 outubro *** O Shopping Jardim Guadalupe promove, no próximo sábado, show com o cantor Léo Aguerê, a partir das 19h *** A SRE Preview, evento de lançamento da SRE Trade Show – 32ª Super Rio Expofood, ocorrerá em 3 de outubro no Jockey Club. O evento da Associação de Supermercados do Rio de Janeiro (Asserj) reunirá 60 expositores. Detalhes em preview.superrioexpofood.com.br

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Falta de servidores traz prejuízo, inclusive financeiro

Fila de segurados no INSS vai engrossar precatórios em R$ 11 bilhões.

Desmonte do Estado se dá pelas beiradas

Miçangas e espelhos empurram reformas administrativas nos municípios.

O que vale pros precatórios vale pra dívida interna?

Se calotes são defensáveis, poderiam ser estendidos para os títulos públicos.

Últimas Notícias

Distribuição comercial: quais cláusulas e condições mais importantes?

Por Marina Rossit Timm e Letícia Fontes Lage.

Mercado corre do risco em momento de estresse

Se tem uma coisa que o mercado é previsível é com relação ao seu comportamento em momentos de estresse é aversão ao risco. “Nessa...

Petrobras: mais prazo de inscrição no novo Marco Legal das Startups

Interessados em participar do primeiro edital da Petrobras baseado no novo Marco Legal das Startups (MSL) poderão inscrever-se até o dia 12 de dezembro....

Canal oficial para investidor pessoa física na B3

A partir desta sexta-feira, a nova área logada do investidor da B3, lançada em junho, passa a ser o canal que centraliza todas as...

Fitch Ratings atualiza metodologia de Rating de Seguros

A Fitch Ratings, agência de classificação de risco, publicou nesta sexta-feira relatório de atualização de sua Metodologia de Rating de Seguros. Segundo a agência,...