Nem aí

Os defensores da eficiência privada e do choque de gestão têm um caso exemplar para expor sua tese aos passageiros que, já há dois dias, são submetidos ao padrão Gol de aviação. Além de não prestar serviços pelos quais recebeu e não fornecer qualquer explicação séria aos consumidores, a presidência da empresa sequer apresentou um pedido de desculpas, ainda que à la Michael Schumacher, ao distinto público.

Padrão
O episódio da Gol, recorrente na situação de duopólio em que vive a aviação nacional, não inibe que os tradicionais lobistas repitam seu mantra pela privatização dos aeroportos brasileiros, movimento que tem um olho gordo em particular no Galeão, no Rio, mesmo estado que vive com padrão Metrô Rio, da SuperVia e das empresas de ônibus.

(Não) vou de táxi
Fora do duopólio Gol-TAM, a situação está longe de ser favorável. Na WebJet, por exemplo, funcionários queixam-se que a empresa cortou até o pagamento do táxi para que pilotos, de folga, cobrissem o horário de colegas que não pudessem voar. Em represália, vários pilotos passaram a recusar-se a trabalhar fora do horário regulamentar. Além disso, 40 currículos de pilotos e outros integrantes da tripulação foram despejados no mercado de trabalho, o que levou a WebJet a promover mudanças na administração da empresa.

Tomaram Prozac
Os economistas estão mais confiantes do que nunca, segundo aponta o Índice de Sentimento dos Especialistas em Economia (ISE), medido pela Fecomercio-SP em parceria com a Ordem dos Economistas do Brasil (OEB). Houve alta de 4,4% no índice de julho na comparação com o de junho, indo de 107,1 pontos para 111,8, numa escala que vai a 200 (acima de 100 indica otimismo). Guilherme Dietze, assessor econômico da Fecomercio, explica que o resultado positivo se deve, principalmente, à recuperação da confiança na economia mundial e aos resultados satisfatórios sobre inflação.
Com os últimos resultados da economia mundial e da brasileira, também, esta coluna não se surpreenderá se o ISE cair no mês que vem. O que mostra a pouca utilidade de índices como este para aferir o pensamento de profissionais que deveriam trabalhar no médio e longo prazos.

Não aprenderam
Um dado, porém, mostra que a pesquisa da Fecomercio-SP deve abranger um grande número de economistas do “mercado”, portanto distantes de análises mais aprofundadas da conjuntura: a única questão que incomoda mais os pesquisados do que a taxa de juros brasileira é a forma como o Governo Federal administra seus gastos. A avaliação do item Gastos Públicos caiu para 32 pontos, demonstrando um forte pessimismo. “A pior notícia é que os economistas esperam um aumento dos gastos públicos, tanto para o momento atual, quanto para daqui a 12 meses”, lamenta Dietze. Pior para quem, cara pálida?

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDireito autoral
Próximo artigoMundo da lua

Artigos Relacionados

Bolsonaro invade TV Brasil

Programação foi interrompida 208 vezes em 1 ano para transmissão ao vivo com o presidente.

FMI: 4 fatores ameaçam inflação

Fundo acredita que preços deem uma trégua no primeiro semestre de 2022, mas...

Pandora Papers: novos atores nos mesmos papéis

Investigação mostra que pouco – ou nada – mudou desde 2016.

Últimas Notícias

Rio Indústria apoia lei que desburocratiza e facilita novos negócios

Em audiência pública realizada nesta quinta-feira (14), na Câmara Municipal do Rio, sobre o Projeto de Lei Complementar nº 43/2021 que regulamenta a Declaração...

Ciência: entidades pedem liberação de recursos

Organizações questionam redirecionamento para outras áreas de R$ 515 milhões, que eram do CNPq.

Rating da EDP BR não muda com aquisição da Celg-T

Para a Fitch Ratings, a qualidade de crédito da EDP Energias do Brasil S.A. (EDP BR, Rating Nacional de Longo Prazo ‘AAA (bra)’, Perspectiva...

Tesouro: Queda do investimento líquido em ativos não financeiros

O Tesouro Nacional informou nesta sexta-feira que no 2º trimestre de 2021, a necessidade líquida de financiamento do Governo Geral alcançou 7,1% do PIB,...

Leilão de Excedentes da Cessão Onerosa terá sucesso?

Após a realização da 17ª Rodada de Licitações de Blocos para exploração e produção de petróleo e gás natural no último dia 7, considerado...