Ninguém é Santo

A lista da Odebrecht que estava entre os documentos apreendidos em fevereiro pela Polícia Federal durante a 23ª fase da Operação Lava Jato continha cerca de 300 nomes que estariam na lista de contribuições, legais ou não, da empreiteira. Setenta e seis eram do PT, o que significa que uns 224 eram de outros partidos ou de partido nenhum: 48 do PSDB (incluindo Alckmin, Serra, Aécio e José Aníbal); 41 do PMDB (entre eles homens fortes do Governo Temer, como Moreira Franco e Romero Jucá, que foi pego articulando a morte da Lava Jato); 22 do PP; 17 do PSB; e por aí vai.

Passados sete meses, apenas o PT mereceu os holofotes da Polícia Federal e da força-tarefa do Ministério Público do Paraná. Chegou a ser constrangedor, durante entrevista da PF sobre a prisão de Palocci, ver que os federais identificaram pagamento de propina em obras em diversos estados e cidades, especialmente no Rio e São Paulo, sem revelar um único nome de governador, prefeito ou secretário envolvido. Sabe-se até o percentual – 4% – que seria pago ao Santo, mas ninguém deu o nome ao Santo.

JD, garantiu a PF lá atrás, seria a forma como José Dirceu aparecia nas listagens do “departamento de operações estruturadas”, vulgo central da propina, da Odebrecht. Não era. JD, garante agora a Polícia Federal, é sigla de Juscelino Dourado, assessor de Palocci. Cabe um pedido de desculpas, e quem sabe uma absolvição, de Dirceu?

A fila não anda

A senadora Gleisi Hoffmann e seu marido, o ex-ministro Paulo Bernardo, viraram réus no STF. Furaram a fila. Outros políticos, implicados em denúncias há mais tempo, ou em situações mais embaraçosas, continuam blindados. Aécio Neves talvez seja o caso mais emblemático. Nenhum destes é do PT.

Também o processo contra o governador de Minas, Fernando Pimental, corre célere na justiça, com investigações a jato – mas não na Lava Jato – pela Polícia Federal.

Já a apuração da máfia das merendas em São Paulo caminha para a pizza, apesar de – ou por causa de – denúncias contra nomes da antessala do governador Geraldo Alckmin, como Moita (diferentemente do Santo, este é conhecido: é Luiz Roberto dos Santos, ex-chefe de gabinete do secretário-chefe da Casa Civil Edson Aparecido, braço direito de Alckmin.

Controle

A Velinha de Taubaté ficou impressionada com a explicação dada pelo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, após antecipar a deflagração de uma nova fase da Operação Lava Jato. Mas a Comissão de Ética da Presidência da República não foi tão crédula e abriu um processo para investigar a conduta ética do ministro.

Moraes teve uma reunião na sede da Polícia Federal na sexta-feira, dois dias antes de revelar os próximos passos da Lava Jato. Não se trata apenas uma questão do que ele sabia, mas do que ele controla.

Censura

A Associação Nacional de Jornais (ANJ) denunciou “a atitude violenta e antidemocrática de um grupo de 30 homens” que recolheu o suplemento São Gonçalo, do jornal Extra, e a edição de O Fluminense em pontos de distribuição e bancas, em São Gonçalo e Niterói (RJ).

O objetivo evidente da ação criminosa foi impedir que a população tomasse conhecimento de reportagens que traziam denuncia do MPF contra o ex-presidente da Câmara de São Gonçalo Eduardo Gordo, candidato a vereador pelo PMDB, acusado de fraudes na Saúde que somam R$ 35 milhões.” A ANJ cobra imediato esclarecimento do episódio.

Meirelles não deixa

Não existe Defesa sem Base Industrial de Defesa”, disse o ministro Raul Jungmann nesta terça-feira, durante abertura da 4ª Mostra Base Industrial de Defesa BID-Brasil. Segundo ele, mesmo com os ajustes econômicos, não faltarão esforços de sua parte para criar mecanismos e oportunidades que assegurem o crescimento do setor.

Setembro Amarelo

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 800 mil pessoas se suicidam no mundo e, a cada 40 segundos, uma pessoa tenta se matar. No Brasil, 32 pessoas se matam por dia. O suicídio tem crescido entre as causas de mortes de jovens até 19 anos em nosso país. Em 2013, 1% de todas as mortes de crianças e adolescentes foram por suicídio, ou 788 casos no total.

O número representa um aumento expressivo frente ao 0,2% de 1980, segundo a Abrasco, que encampou o Setembro Amarelo, campanha criada em 2014 que busca conscientizar sobre a prevenção do suicídio. Em 25 anos, o número de suicídios entre os jovens brasileiros aumentou 500%. Entre adolescentes de 16 e 17 anos, a taxa é ainda maior: 3%.

Rápidas

A Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV/Eesp) fará nesta quarta-feira, a partir das 10h, debate sobre o ajuste fiscal no Brasil, com Yoshiaki Nakano (FGV), Mansueto de Almeida (Ministério da Fazenda) e Gustavo Barbosa (secretário de Fazenda do Estado do Rio de Janeiro), entre outros *** A Escola de Negócios da PUC-Rio realiza nesta quinta, das 19h30 às 21h30, o debate “Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016: Vivências e Experiências com Patrocínio, Mídia e Espectador”. Participarão profissionais que trabalharam no maior evento esportivo do mundo. Informações: (21) 2138-9201.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPaís atrás das grades
Próximo artigoMargem de acerto

Artigos Relacionados

Bolsonaro invade TV Brasil

Programação foi interrompida 208 vezes em 1 ano para transmissão ao vivo com o presidente.

FMI: 4 fatores ameaçam inflação

Fundo acredita que preços deem uma trégua no primeiro semestre de 2022, mas...

Pandora Papers: novos atores nos mesmos papéis

Investigação mostra que pouco – ou nada – mudou desde 2016.

Últimas Notícias

Mercados operam mistos no exterior

No Brasil haverá resposta ao Copom.

Elevação na Selic deve repercutir no mercado

EUA: divulgação de PIB do terceiro trimestre e balanços de grandes empresas são o foco das atenções no cenário internacional.

TSE forma maioria contra cassação da chapa Bolsonaro-Mourão

PT, PCdoB e PROS pedem cassação da chapa por cometimento de abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação.

IGP-M acumula inflação de 21,73% em 12 meses

Alta da taxa de setembro para outubro foi puxada pelos preços no atacado.

Mirando agora na PEC dos Precatórios

Ultrapassada a decisão do Copom, investidores vão mirar na avaliação da PEC cheia de 'jabutis' que ainda não foram retirados.