Ninguém merece

“Sou um comunista em relação ao PT”, tripudia Paulo Maluf (PP), em entrevista ao jornal Folha de Pernambuco. Maluf vai além: “O PT faz um governo defensor dos banqueiros.” Para deixar bem claro, o eterno candidato pisoteia: “As diferenças ideológicas que existiam entre mim e o PT hoje não existem, porque o maior defensor dos juros e impostos altos é exatamente o PT, que está fazendo um jogo muito à direita do que eu faria se tivesse sido eleito presidente da República.”

Novos rumos?
A proposta do presidente da Argentina, Néstor Kirchner, de que seu país, Brasil e Venezuela negociem conjuntamente com o Fundo Monetário Internacional (FMI) recebeu o apoio do presidente da Comissão do Mercosul do Congresso brasileiro, deputado federal Doutor Rosinha (PT-PR): “Entramos no século XXI com uma grave crise econômica e sérios problemas sociais. Enfrentar em bloco a questão da dívida é muito positivo. Juntos e organizados, os países têm mais força nas negociações. Espero apenas que a vontade política dos presidentes não seja obstruída pela burocracia dos negociadores”,  ressalta Doutor Rosinha, que esteve em Montevidéu, para acompanhar a posse do novo presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez.

Energia latina
O parlamentar salienta ainda a importância do acordo fechado entre os três países para ações integradas nos setores de petróleo, indústria naval e aeroespacial: “A aproximação de duas empresas estatais como a Petrobras e a PDVSA pode influenciar a política do petróleo no mundo. Se a Bolívia se somar a este esforço, com suas reservas de gás natural, o bloco sul-americano pode disputar os rumos da política energética mundial”, comemora o presidente da Comissão do Mercosul, saudando ainda a vitoriosa reestruturação da dívida argentina, lamentando apenas que não tenha sido estendida aos débitos com o FMI

Saco sem fundo
Durante a reunião com e Kirchner e o presidente Lula, no Uruguai, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, contou que seu país, há cinco anos, devia US$ 25 bilhões ao FMI. De lá para cá, já pagou US$ 25 bilhões, mas, apesar disso, o débito com o fundo quase não saiu do lugar: hoje soma US$ 24 bilhões.

Chapéu alheio
A população fluminense apóia e conhece os programas sociais do governo, mas não sabe quem os realiza. Esta é uma das conclusões de pesquisa realizada com 10 mil cidadãos pelo sistema Fala Cidadão, da Ouvidoria do Governo do Estado do Rio. Além da confusão sobre o autor do programa – se município, estado ou União – a pesquisa também mostrou que não conhece os programas de desenvolvimento econômico na mesma proporção que conhece os programas sociais. Segundo o secretário Chefe de Gabinete, Fernando Peregrino, apenas 37,2% dos moradores da Baixada Fluminense conhecem o Programa Pólo Gás-químico, um investimento de mais de US$ 1 bilhão na região, já com seis empresas instaladas. Já o programa social Farmácia Popular é conhecido por 90,5% dos entrevistados.

Limite
Até que ponto o direito da sociedade à informação pode interferir na privacidade das pessoas? Esta é a discussão proposta pelo II Encontro Regional sobre Liberdade de Imprensa, que a Associação Nacional de Jornais – ANJ realiza nesta segunda-feira em Fortaleza, com o apoio da Unesco.

Petróleo em debate
O diretor da Associação dos Engenheiros da Petrobras (Aepet) Fernando Siqueira e o ex-vice-presidente da entidade Argemiro Pertence participam, neste sábado, às 10h, na sede da Fundação Alberto Pasqualini, na Praça Tiradentes, no Rio, do debate “A Lei do Petróleo, Conjuntura Internacional e Ação Direta de Inconstitucionalidade”. Promovido pelo PDT, o evento faz parte do esforço do partido para atualizar a plataforma de governo para 2006. O programa atual data de 1994, quando Brizola disputou a Presidência da República.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorResponsável
Próximo artigoMediocridade premiada

Artigos Relacionados

SUS poderia ter salvado 338 mil norte-americanos

Assistência à saúde universal pouparia 1/3 das vidas na pandemia.

Ricaços da indústria foram poupados de perdas

Ações de empresas de tecnologia derreteram.

Indústria naval apresenta propostas para eleições 2022

Setor quer deixar para trás maré ruim dos últimos 7 anos

Últimas Notícias

Exterior misto deve acrescentar volatilidade nos negócios locais

Nesta quarta, dólar também ganha força ante moedas emergentes e ligadas a commodities, o que deve pressionar o real.

BNDES: R$ 317,2 milhões nos aeroportos de Mato Grosso

Ao todo serão investidos R$ 500 milhões nos quatro aeroportos, com participação de 65% do BNDES

Fintechs emprestaram mais de R$ 12 bi em 2021

Crédito é quase o dobro do ano anterior, diz pesquisa da ABCD e PwC Brasil

Regulador divulga primeiro balanço sobre o 5G em Portugal

No final do primeiro trimestre, já havia 2.918 estações de rede 5G espalhadas por 198 cidades (64% das cidades)

Está mais fácil comprar carro na China

Vendas no varejo de veículos de passageiros atingiram 1,42 milhão de unidades durante o período de 1 a 26 de junho