Nível de reservatórios em alta no Sudeste e Centro-Oeste

460
Reservatório vazio (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr)
Reservatório vazio (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr)

O boletim do Programa Mensal de Operação (PMO) com as previsões do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), para a semana de 10 a 17 de junho, aponta reservatórios com bons níveis de armazenamento. Dos quatro subsistemas, o Sudeste/Centro-Oeste se destaca, pois na segunda revisão do PMO apresenta uma expectativa melhor que a estimada na edição anterior, com aumento de 0,4%, e deverá atingir 65,7% de capacidade no final do mês. Nos demais subsistemas os níveis de água estocada seguem acima de 90%, sendo o Nordeste com 91,7%, o Sul com 92,7% e o Norte com 99%. As estimativas consideram a data de 30 de junho como referência.

Ainda de acordo com o boletim, o Custo Marginal de Operação (CMO), em todo o Brasil, teve uma redução de 13,3%, saindo de R$ 57,89 para R$ 50,17. Os valores seguem equalizados.

Na Região Sul, subsistema que está com os melhores índices, as afluências devem registrar 218% da Média de Longo Termo (MLT). Seguido da Região Norte, onde é esperado um percentual de 81% da MLT; Sudeste/Centro-Oeste com 71% da MLT e o Nordeste com 64% da MLT.

O documento indica uma previsão de carga total do Sistema Interligado Nacional (SIN) para o mês de junho de 66.224 MW médios, com redução de 0,8% em comparação a igual período no ano anterior. A estimativa para o subsistema Sudeste/Centro-Oeste é de incremento de 0,1%, atingindo 38.270 MW médios. Já os demais subsistemas apresentam as seguintes variações em relação a junho de 2021: Norte com redução de 0,3% e 5.932 MW médios; Nordeste com desaceleração de 2,4% e 10.667 MW médios e Sul com contração de 2,5%, correspondendo a 11.355 MW médios. A projeção do subsistema Norte encontra-se influenciada pela redução parcial da carga de um consumidor livre da rede básica desde o mês de março passado.

Espaço Publicitáriocnseg

O boletim também traz projeções positivas para as afluências no Sul do país, ou seja, a quantidade de chuva que cai nos reservatórios. A projeção para a região é atingir 192% da Média de Longo Termo (MLT) ao final do mês. A indicação é de que os outros três subsistemas apresentem os seguintes índices: Norte, com 81%; Sudeste/Centro-Oeste, com 74% e o Nordeste com 66% da MLT. Vale destacar que, se comparada a atual previsão de afluências no subsistema Sudeste/Centro-Oeste a do boletim anterior, constata-se um aumento de três pontos percentuais, subindo de 71% para 74% da MLT.

O documento informa também que, para a semana operativa, o CMO terá uma leve redução de 0,17% em todas os subsistemas. Os valores, anteriormente em R$ 50,17/MWh, seguem equacionados e devem atingir R$ 50,08/MWh.

Já os níveis dos reservatórios das usinas hidrelétricas devem alcançar, até o fim do mês, 98,7%, no Norte; no Sul 92,6%; 91,9%, no Nordeste; e, 66% no Sudeste/Centro-Oeste. O percentual atual indicado para o subsistema Sudeste/Centro-Oeste é melhor do que o apresentado na segunda revisão do boletim, da semana passada, que era de 65,7%.

O documento sinaliza ainda que a carga de energia do Sistema Interligado Nacional (SIN), em comparação a junho de 2021, terá redução de 1,6%, totalizando 65.649 MW médios. Para a Região Norte a expectativa é de aumento de 0,8% e 5.999 MW médios. Já as regiões Sudeste/Centro-Oeste e Nordeste, indicam diminuição de 2%, com 37.479 MW médios e 10.704 MW médios, respectivamente. E a Sul apresenta uma desaceleração de 1,5%, correspondendo a 11.467 MW Médios.

Leia também:

ONS: carga de energia deve crescer 0,7% em junho

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui