No Fórum de São Petersburgo, especialistas destacam o Brics

Brics é fundamental na construção do multilateralismo e do crescimento econômico, avaliam no Fórum de São Petersburgo

135
Bandeiras dos Brics em reunião preparatória da 15 Cúpula, na África do Sul
Brics na África do Sul (foto de Katlholo Maifadi, Dirco, 15th Brics Summit)

Os países do Brics obtiveram avanços significativos na promoção do crescimento econômico global, na melhoria da governação global e no reforço da cooperação multilateral, afirmaram nesta quinta-feira os participantes no Fórum de Especialistas do Brics, que aconteceu no âmbito do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo de 2024, na Rússia.

José Pio Borges de Castro Filho, presidente do Conselho Curador do Centro Brasileiro de Relações Internacionais, disse que o Brics é uma força crucial na formação de uma nova ordem mundial, pois o mecanismo mostra sua flexibilidade e inclusão, respeitando os aspectos culturais, econômicos, e diferenças religiosas dos seus membros, ao mesmo tempo que promove a cooperação mutuamente benéfica.

Enfatizou a necessidade de os Estados-membros reforçarem a cooperação na redução das emissões de carbono, na redução da pobreza, na transição energética e na transformação digital.

Lyu Yansong, editor-chefe da Agência de Notícias Xinhua, disse que à medida que o mundo passa por mudanças sem precedentes, os países do Brics têm reforçado a cooperação em vários campos, promovendo parcerias de alta qualidade e explorando conjuntamente caminhos para a modernização.

Espaço Publicitáriocnseg

Lyu, também vice-diretor do Comitê Acadêmico de Pesquisa da Nova China, observou que esses esforços são cruciais para que a humanidade enfrente coletivamente os desafios e crie um futuro melhor. “Como agência de notícias estatal da China e grupo de reflexão de alto nível na forma de meio de comunicação, a Xinhua está comprometida com pesquisas aprofundadas sobre as práticas bem-sucedidas do mecanismo de cooperação do Brics, interpretando profundamente seu valor contemporâneo e significado global”, disse Lyu.

Acrescentou que a agência está disposta a reforçar ainda mais a investigação e a promoção do mecanismo de cooperação do Brics com os seus parceiros.

Brics por uma ordem internacional justa

Alexander Zhukov, primeiro vice-presidente da Duma russa (equivalente à Câmara dos Deputados), disse que os países do Brics respeitam a igualdade soberana e o direito de escolher caminhos de desenvolvimento de forma independente. Têm em conta os interesses mútuos, aderem aos princípios de abertura e consenso e esforçam-se por estabelecer uma ordem mundial multipolar e um sistema financeiro e comercial global justo, abordando colectivamente as questões mais prementes da atualidade.

“O mecanismo tornou-se um modelo para a cooperação interestatal”, observou ele, acrescentando que a Rússia, como presidente rotativo do Brics este ano, sediará uma série de eventos centrados em tópicos que incluem política, segurança, economia, finanças, educação e cultura.

Philani Mthembu, diretor executivo do Instituto para o Diálogo Global com sede na África do Sul, disse que os países Brics defendem e praticam o multilateralismo genuíno e estão empenhados em promover a multipolaridade e democratizar as relações internacionais. “O Brics pretende construir uma ordem internacional mais justa e razoável, contribuindo continuamente para a paz, estabilidade e prosperidade globais”, acrescentou.

Dmitry Kiselev, diretor-geral do grupo de mídia Rossiya Segodnya, disse que novos centros de desenvolvimento estão surgindo no mundo de hoje, sendo os Brics uma das forças mais importantes. “No quadro do Brics, a cooperação nos domínios econômico, comercial, cultural e outros tem progredido sem problemas, salvaguardando eficazmente os interesses comuns dos países emergentes e em desenvolvimento”, observou Kiselev.

O Fórum de Especialistas do Brics foi coorganizado pela Agência de Notícias Xinhua e pela Rossiya Segodnya. Autoridades governamentais dos países do Brics, chefes dos principais meios de comunicação internacionais e acadêmicos participaram do Fórum.

Com Agência Xinhua

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui